Este espaço é reservado a quem acredita na mobilidade sustentável e queira se juntar aos números abaixo:

* mais de UM MILHÃO de acessos ; * lido por mais de DEZ países, * mais de DEZ MIL postagens, * postagens (blog e mídias sociais) durante os 365 dias do ano, * newsletters semanal, * parcerias com eventos no Brasil e exterior. Clique AQUI para saber mais.

domingo, 27 de outubro de 2019

KWFleet investe em veículos elétricos de carga


Em operação desde março, a KWFleet, startup que atua na locação exclusivamente de veículos elétricos para transporte de cargas, adquiriu 150 vans da BYD, empresa chinesa que tem fábrica em Campinas (SP), onde produz atualmente chassi para ônibus elétricos e painéis fotovoltaicos.

As vans foram importadas da China e metade da encomenda já está com a KWFleet, a outra parte será entregue nos próximos dias. O investimento na frota foi de R$ 30 milhões. Em 2020, serão gastos mais R$ 100 milhões para a aquisição de 90 caminhões elétricos também da BYD.

"Até 2023 queremos ter uma frota de 5 mil veículos 100% elétricos, incluindo automóveis e ônibus", informa Luis Carlos Magalhães, presidente da KWFleet. Por enquanto, diz ele, a empresa vai atuar apenas na locação para empresas na grande São Paulo, mas, a partir de março, expandirá serviços para as regiões metropolitanas do Rio e de Salvador. No momento, ele não pensa em alugar para pessoas físicas pois o custo é alto.

As vans estão sendo usadas no transporte de produtos farmacêuticos, bebidas (entrega de barril de chope), calçados, por redes varejistas e empresas de serviços de telefonia para uso em manutenção. Os caminhões serão de pequeno porte para poderem circular em áreas urbanas.

Além de não emitirem poluentes e serem silenciosos, as vantagens dos veículos elétricos, segundo Magalhães, são os custos menores com abastecimento e manutenção e isenção do rodízio. "A energia custa em torno de 25% do valor gasto com diesel e gasolina e o gasto com manutenção equivale a 20% do gasto com veículo a combustão."

O preço do veículo, contudo, é quase o triplo de um similar a combustão, informa Magalhães, mas a economia em uso e manutenção compensa. Na locação, os preços para as vans são em média 20% a 30% superiores aos de veículo similar a combustão. No caso dos caminhões, é quatro vezes mais.

Os prazos dos contratos de locação variam de cinco a dez anos. A parceria feita com a BYD prevê um pacote completo de serviços incluídos no valor do aluguel como seguro, manutenção, conectividade. "Os eletropostos para carregar as baterias são instalados na base do cliente como comodato", informa Magalhães.

Carlos Roma, diretor de vendas da BYD, diz que a empresa estuda produzir caminhões em Campinas, mas ainda não há data definida. A empresa vendeu no ano passado 200 caminhões para a Corpus Saneamento e Obras, empresa que atua na coleta, transporte e destinação de resíduos em seis municípios de São Paulo e em Vitória. Foram entregues 21 unidades e 45 devem chegar no primeiro semestre de 2020. As demais serão entregues até 2022.

A fabricante chinesa também tem planos de instalar 200 postos de recarga. "A infraestrutura para recarga não é o maior desafio da eletromobilidade, mas sim o preço das baterias, que chegam a representar 50% do valor do veículo e pode chegar a 70% no caso dos caminhões."

VerdeSobreRodas, o ponto de encontro com a mobilidade sustentável

PostagemKWFleet investe em veículos elétricos de carga

Publicado no Verdesobrerodas



Por Terra conteúdo

Nenhum comentário:

Postar um comentário