Este espaço é reservado a quem acredita na mobilidade sustentável e queira se juntar aos números abaixo:

* mais de UM MILHÃO de acessos ; * lido por mais de DEZ países, * mais de DEZ MIL postagens, * postagens (blog e mídias sociais) durante os 365 dias do ano, * newsletters semanal, * parcerias com eventos no Brasil e exterior. Clique AQUI para saber mais.

sábado, 21 de setembro de 2019

Hyundai foca mobilidade elétrica do mercado europeu


Continua imparável a cavalgada elétrica da Hyundai. A marca sul-coreana tem os olhos focados na Europa e quer ocupar um lugar de destaque neste novo mundo ambiental da indústria, desdobrando-se em propostas de cariz verde. O último capítulo da saga aconteceu, em Amesterdão, com a apresentação dos modelos Ioniq Electric e Kauai Hybrid.

O primeiro foi lançado em 2016 e nos três anos que leva de comercialização já vendeu perto de 60 mil unidades, números que ajudam a compreender a aposta da Hyundai nas gamas “eletrificadas”. Ainda que, no caso do segundo, associado a um motor a gasolina.

Mas já lá vamos. Foquemo-nos, para já, na evolução do Ioniq Eletric. Na sua essência, nada de especial mudou. Os engenheiros da marca privilegiaram o aumento da autonomia e atualização do design e da conectividade.

Para isso, o conjunto de baterias melhorou a sua capacidade (de 28 para 38,3 kWh), permitindo aumentar a vida útil entre cargas. Um crescimento de armazenamento de energia na ordem dos 36%, oferecendo agora uma autonomia total de 311 km. E que ninguém pense que obriga a uma condução chata. Nada disso. A potência máxima cifra-se nos 136 CV e o binário é de 295 Nm. A velocidade máxima? 165km/h.

O Ioniq Electric surge equipado com um carregador de bordo de 7,2 kW (face aos 6,6 kW do antecessor) para uma corrente alternada do tipo 2. Caso se recorra a uma estação de carga rápida de 100 kW as baterias atingem 80% da carga em apenas 54 minutos. Ainda em relação à carga, importa referir que, graças ao sistema telemático de conectividade Bluelink , esta poderá ser controlada à distância e planejada através do smartphone. Além desta função, permite ainda controlar o ar condicionado ou trancar e destrancar o veículo remotamente.
De série, todas as versões deste modelo elétrico contam com um vasto pacote tecnologias Hyundai SmartSense, onde se destacam alguns itens: sistema de assistência à condução: Alerta de Colisão Dianteira (FCWS), Alerta de Fadiga do Condutor (DAW), sistema de Manutenção à Faixa de Rodagem (LKAS), sistema de Controlo Automático dos Máximos (HBA), função de Detecção de Pedestres e até de Ciclistas.

Quanto ao design do Ioniq Eletric 2019, que chegará a Portugal, em outubro, por um preço que começa nos 40.950 euros, poucas novidades a sublinhar. Umas palavras apenas para o novo desenho da grelha frontal e para-choques, bem como para os retoques a que foram sujeitos os faróis traseiros, agora com tecnologia LED.

De modo a não colocar todas as suas expectativas nos modelos 100% elétricos, em Amesterdão, a Hyundai deu também a conhecer aos jornalistas o novo Kauai Hybrid. Uma fórmula que pretende assegurar o melhor de todos os mundos: um SUV que associa um motor de combustão Kappa 1.6 GDI a gasolina com 105 cv e 147 de binário a outro elétrico com 43 cv (32 kW) e um binário máximo de 170 Nm. 

Segundo a marca, a bateria de polímero de iões de lítio de 1,56 kWh disponibiliza um excelente desempenho de carga e descarga, otimizando a saída da bateria de alta tensão e permitindo uma rápida regeneração. Chegamos, deste modo, a uma potência combinada de 104 kW (141 CV) e até 265 Nm de binário. O Kauai Hybrid acelera de 0-100 km/h em 11,2 segundos e tem uma velocidade máxima limitada aos 160 km/h, com um consumo de 3,9 l/100 km (4,3 l/100 km com jantes de 18 polegadas) e emissões de 90 gr/km de CO2 (99 gr/km CO2 com jantes de 18 polegadas). 

Na primeira experiência de condução, apesar dos poucos quilômetros percorridos, maioritariamente em autoestrada, o modelo deu mostras de grande suavidade de rolamento e de qualidade de vida a bordo.  A data de chegada ao mercado nacional está apontada para outubro, sendo o preço da versão base 29.500 euros.

VerdeSobreRodas, o ponto de encontro com a mobilidade sustentável

PostagemHyundai foca mobilidade elétrica do mercado europeu

Publicado no Verdesobrerodas



Por Motor 24 conteúdo

Nenhum comentário:

Postar um comentário