Este espaço é reservado a quem acredita na mobilidade sustentável e queira se juntar aos números abaixo:

* mais de UM MILHÃO de acessos ; * lido por mais de DEZ países, * mais de DEZ MIL postagens, * postagens (blog e mídias sociais) durante os 365 dias do ano, * newsletters semanal, * parcerias com eventos no Brasil e exterior. Clique AQUI para saber mais.

quarta-feira, 3 de julho de 2019

Veículos elétricos serão equipados com AVAS


Os veículos elétricos que não tenham o sistema sonoro AVAS (Audible Vehicle Alert System) vão ter de o incorporar até 2021 e os que já o possuem terão de o ter ativo. A medida entrou em vigor este mês e resulta de uma alteração ao regulamento da União Europeia 540/2014.

Os carros homologados este mês já devem possuir o novo sistema conforme as novas regras. Todos os outros, têm até 2021 para se adaptar. A partir dessa altura, a presença do dispositivo deve ser universal.

O regulamento comunitário propõe-se obrigar à emissão mínima de algum ruído, quando se faça marcha atrás e quando se conduz a menos de 20 quilômetros hora. Para os carros que possuam já sinalização sonora para marcha atrás, não é preciso ativar outro sistema em simultâneo. O nível sonoro produzido pelo AVAS não deve ultrapassar o valor aproximado de um veículo concebido para o transporte de passageiros com oito lugares sentados, no máximo, equipado com motor de combustão interna que esteja a funcionar nas mesmas condições, define o regulamento.

A nova legislação europeia pretende evitar acidentes, sobretudo atropelamentos, envolvendo invisuais e pessoas com mobilidade reduzida. Mas uma das vantagens dos veículos elétricos é precisamente a da condução silenciosa. Acontece, porém, que a vantagem para o utilizador pode revelar-se um perigo para o peão que pode não dar conta da proximidade do veículo.

O regulamento prevê ainda que não se possa desativar o dispositivo. Hoje em dia, os carros que o possuem este sistema fornecem essa opção ao condutor. Henrique Sanchez, da Associação de Utilizadores de Veículos Elétricos, UVE, considera que a medida pode ser útil para alguns ambientes fechados, como garagens, mas alerta que em ambiente cidade pode não resultar da mesma forma.

A União Europeia baseou-se em alguns estudos para avançar com esta medida no imediato. Uma pesquisa da associação britânica Guide Dogs concluiu que os pedestres têm uma probabilidade 40% maior de serem atropelados por um híbrido ou elétrico do que por um carro a gasolina ou diesel. Outro estudo, da Universidade da Califórnia, nos EAU, indica que alguns veículos elétricos não se conseguem ouvir até um segundo antes do impacto com o pedestre.

Por outro lado, algumas marcas de automóveis comunicaram que estão a preparar sons especiais para anunciar a sinalização, recorrendo a composições de bandas conhecidas. A Mercedes encomendou aos Linkin Park um som para esse efeito.

VerdeSobreRodas, o ponto de encontro com a mobilidade sustentável


PostagemVeículos elétricos serão equipados com AVAS

Publicado no Verdesobrerodas



Por Jornal de Notícias conteúdo

Nenhum comentário:

Postar um comentário