Este espaço é reservado a quem acredita na mobilidade sustentável e queira se juntar aos números abaixo:

* mais de UM MILHÃO de acessos ; * lido por mais de DEZ países, * mais de DEZ MIL postagens, * postagens (blog e mídias sociais) durante os 365 dias do ano, * newsletters semanal, * parcerias com eventos no Brasil e exterior. Clique AQUI para saber mais.

segunda-feira, 29 de julho de 2019

Primeiro carro elétrico da Caoa Chery no Brasil custará R$ 150 mil


Primeiro carro elétrico da Caoa Chery no Brasil, o Arrizo 5e terá preço em torno de R$ 150 mil. O sedã compacto chegará às concessionárias em outubro. Inicialmente, o modelo virá da China.

A empresa criada após a compra das operações da Chery pelo Grrupo Caoa, estuda produzi-lo em Jacareí (SP), onde a versão com motor flexível é feita desde o ano passado. Aliás, no visual o Arrizo 5e é igual à versão com motor a combustão. Por fora, a única diferença entre elas é a letra “e” ao lado do nome do carro na tampa do porta-malas.

A principal diferença está sob o capô. Em vez do 1.5 de quatro cilindros com turbo, há um motor elétrico. A potência é equivalente a 123 cv e o torque, a 28,1 mkgf (ante 19,4 mkgf do propulsor flexível). Toda essa força é enviada às rodas da frente instantaneamente. O sedã pode acelerar de 0 a 100 km/h em 9,7 segundos. A velocidade máxima é de 152 km/h. Essas informações foram divulgadas pela Caoa Chery durante o Salão do Automóvel de 2018.

A empresa também trouxe o Tiggo 2 e o subcompacto eQ1. O objetivo foi testar a receptividade do público brasileiro aos três modelos elétricos.
 
Das sutilezas, o aviso luminoso “ready” (pronto para uso) fica na parte superior do quadro de instrumentos. O nível da carga das baterias pode ser conferido no mostrador à direita do velocímetro. A central multimídia também tem mais recursos que a do sedã a combustão. Recuperação 
de energia pode ser ajustada.

Um dos destaques do Arrizo 5e é a possibilidade de escolher quanto de energia será recuperado nas frenagens. Essa eletricidade é enviada às baterias instaladas sob o assoalho. Com toques na tela localizada no console central, o motorista pode optar entre cinco níveis de ajuste. No 1 (a menor interferência), o carro fica mais “solto”. Com o nível 5 acionado, a redução de velocidade quando se tira o pé do acelerador é instantânea. Isso porque o sistema passa a funcionar como um dínamo.

Na prática, o Arrizo 5, como qualquer híbrido ou elétrico, é mais eficiente no anda e para das cidades. Em velocidade de cruzeiro, como em estradas e vias rápidas, o motor elétrico é mais demandado. Por isso, exceto em descidas longas, como em serras, por exemplo, a recuperação de energia gerada nas frenagens é bem menor.

O recarregamento completo do pacote baterias de íons de lítio é feito em cerca de 4 horas. Isso em tomadas convencionais de 220 volts. Há também um carregador rápido, que permite repor cerca de 80% da carga em 40 minutos. O Arrizo 5e será vendido com as duas opções. O plug para conectar o recarregador fica no mesmo local do bocal do tanque de combustível da versão flexível. Com as baterias completas, a autonomia chega a 400 km, de acordo com informações da Caoa Chery.

Segundo fontes ligadas à Caoa Chery, a escolha do Arrizo para ser o primeiro elétrico da marca foi bem estudada. Isso porque um dos maiores entraves à oferta de veículos elétricos no Brasil é a infraestrutura de recarregamento. O tamanho da rede é considerado aquém do necessário.

Na prática, o Arrizo 5e funcionará como uma espécie de balão de ensaio. Se fizer sucesso, pode abrir caminho para o Tiggo 2e. Quem sabe até do eQ1 em um futuro não tão distante.
As diferenças entre as versões a combustão e elétricas do sedã e do SUV são relativamente pequenas. Em tese, fazer ambos na fábrica de Jacareí (SP) não exigiria investimentos astronômicos.

VerdeSobreRodas, o ponto de encontro com a mobilidade sustentável

PostagemPrimeiro carro elétrico da Caoa Chery no Brasil custará R$ 150 mil

Publicado no Verdesobrerodas



Por Jornal do Carro Estadão conteúdo

Nenhum comentário:

Postar um comentário