Este espaço é reservado a quem acredita na mobilidade sustentável e queira se juntar aos números abaixo:

* mais de UM MILHÃO de acessos ; * lido por mais de DEZ países, * mais de DEZ MIL postagens, * postagens (blog e mídias sociais) durante os 365 dias do ano, * newsletters semanal, * parcerias com eventos no Brasil e exterior. Clique AQUI para saber mais.

terça-feira, 23 de julho de 2019

Nissan poderá produzir híbrido Kicks no Brasil


O Kicks dever ser o primeiro híbrido produzido pela Nissan no Brasil. Embora não confirme o modelo, o CEO da empresa no País, Marco Silva, informou que um carro com tecnologia e-Power será feito na fábrica de Resende (RJ) até 2022. O Jornal do Carro antecipou a novidade em janeiro.

O plano faz parte da estratégia da Nissan para vender um milhão de carros eletrificados por ano até 2022. E o Brasil tem papel fundamental na região para atingir esse objetivo. A planta de Resende produz o SUV compacto com motor a combustão desde abril de 2017. O Kicks brasileiro é exportado para países como Argentina e Paraguai.

A sacada da tecnologia e-Power é a utilização de um pequeno motor a combustão. Em vez de mover o carro, ele funciona como um gerador de eletricidade. Essa energia alimenta o motor elétrico que movimenta o modelo. O excedente recarrega as baterias. O sistema já está no Note e-Power, no Japão. Lá, o modelo utiliza um motor a gasolina de 1,2 litro que gera 81 cv de potência e 11,2 mkgf de torque. O três-cilindros produz a energia que alimenta o elétrico, que entrega 190 cv e 28,6 mkgf, respectivamente.
 
Silva não revelou se o e-Power nacional terá o mesmo motor a combustão do Note. Isso porque o 1.2 não é oferecido em nenhum Nissan vendido no Brasil. A maior aposta é no 1.0 que está no March e no Versa feitos aqui. Como o três-cilindros é flexível, se for abastecido com etanol o nível de emissões do Kicks e-Power será ainda menor que o do Note.

O CEO da Nissan também confirmou a chegada do novo Versa ao País em 2020. O sedã, que foi lançado nos Estados Unidos no início do ano, virá inicialmente do México. Lá, o motor 1.6 é apenas a gasolina e gera 122 cv. No Brasil, o quatro-cilindros é flexível e produz 111 cv com etanol e/ou gasolina. O modelo pode ter câmbio manual de cinco marchas ou automático do tipo CVT. No Brasil, o novo Versa conviverá com o antigo. O modelo anterior será reposicionado como um sedã de entrada da linha. Assim como o Kicks e o March, o Versa é feito em Resende.

VerdeSobreRodas, o ponto de encontro com a mobilidade sustentável

PostagemNissan poderá produzir híbrido Kicks no Brasil

Publicado no Verdesobrerodas



Por ARIQUEMES conteúdo

Nenhum comentário:

Postar um comentário