Este espaço é reservado a quem acredita na mobilidade sustentável e queira se juntar aos números abaixo:

* mais de UM MILHÃO de acessos ; * lido por mais de DEZ países, * mais de DEZ MIL postagens, * postagens (blog e mídias sociais) durante os 365 dias do ano, * newsletters semanal, * parcerias com eventos no Brasil e exterior. Clique AQUI para saber mais.

sábado, 27 de julho de 2019

Montadoras investem na atualzação online de softwares dos veículos elétricos


A tecnologia chamada, em inglês, de “over the air”, seria algo como “pelo ar” em tradução não literal no português. A proposta é realizar atualizações necessárias ou desejadas ao veículo usando uma conexão com rede de internet. Pioneira no sistema, a Tesla oferece todo tipo de atualização para seus carros elétricos. 

Desde melhorias ao seu sistema de direção semiautônoma, na segurança ou novos recursos na parte de entretenimento/central multimídia dos seus carros.
Em 2018, ela chegou a fazer uma atualização no sistema de freios do Model 3. Agora, Audi e BMW estão usando e a General Motors confirmou o início o uso a partir do final de 2019. Na BMW, a tecnologia vai permitir em um primeiro momento atualizações no assistente pessoal na central multimídia.

Segundo a marca, em breve será possível ainda aumentar as funções de assistência a direção que o carro oferece, como controle de velocidade adaptativo e o sistema de proteção contra colisões laterais.  As atualizações disponíveis para o assistente pessoal da central multimídia já podem ser ativadas nos novos Série 3, X5 e Série 8. Nesse caso, as atualizações serão sem custo para os consumidores.

Na Audi, a proposta é exatamente igual. Por meio do aplicativo myAudi ou do Audi Connect do veículo, a marca já permite a atualização, até quatro vezes ao ano, do mapa do GPS, sem custos. Hoje, A6, Q3 e Q8 já conseguem atualizar os mapas pelo sistema.

O elétrico e-tron será o primeiro que poderá ter mais funções sob demanda. Entre elas a atualização dos faróis de LED para o sistema LED Matrix, que pode iluminar apenas pontos específicos. Como a BMW, a marca pretende oferecer carros, dependendo da versão, que possam ganhar novas funções, conforme o desejo do proprietário, apenas pagando pelo programa e fazendo a instalação via Wi-Fi. Na Audi, os sistemas poderão ser comprados permanentemente, ou “alugados” por períodos mensais ou anuais.

A General Motors vai estrear a tecnologia no Cadillac CT5, sedã grande da marca de luxo norte-americana. O sistema chegará a maior parte dos veículos da companhia até 2023.

Para que essas atualizações sejam possíveis as próximas gerações de veículos terão uma arquitetura eletrônica mais robusta. Com o aumento de dados e cálculos que o carro precisará fazer. Isso significa mais centrais eletrônicas (ECU), por exemplo.

Os próximos carros serão vendidos com todos os equipamentos possíveis, porém desativados. A ideia é que a parte física, radares, sensores, ou ECUs já venham instaladas no veículo. Com isso, se o consumidor após a compra do carro desejar integrar aos sistemas um controle de velocidade adaptativo, poderá comprar o programa que será instalado assim que o carro se conectar a uma rede Wi-Fi.

VerdeSobreRodas, o ponto de encontro com a mobilidade sustentável

PostagemMontadoras investem na atualzação online de softwares dos veículos elétricos 

Publicado no Verdesobrerodas



Por Jornal do Carro Estadão conteúdo

Nenhum comentário:

Postar um comentário