Este espaço é reservado a quem acredita na mobilidade sustentável e queira se juntar aos números abaixo:

* mais de UM MILHÃO de acessos ; * lido por mais de DEZ países, * mais de DEZ MIL postagens, * postagens (blog e mídias sociais) durante os 365 dias do ano, * newsletters semanal, * parcerias com eventos no Brasil e exterior. Clique AQUI para saber mais.

terça-feira, 23 de abril de 2019

Vendas do Nissan Leaf cresceu 630% em Portugal

A Nissan terminou o ano fiscal de 2018 (a 31 de março) com aquele que foi o seu melhor ano de sempre na globalidade das suas operações, mas o objetivo para 2019 é consolidar esses resultados, ingressando também em novas áreas como a das soluções energéticas.

Na apresentação dos seus resultados do ano fiscal que findou em março, a marca japonesa destacou o quarto ano consecutivo de vendas recorde em Portugal, com 13.768 unidades vendidas nesse período, mais 7% do que no ano anterior, cumprindo “o seu objetivo de alavancar as vendas nos canais privados e de frotas em detrimento do rent-a-car”, conforme adiantou Antônio Melica, diretor-geral da Nissan Portugal.

Entre os modelos que mais peso tiveram nas vendas globais da Nissan, o Qashqai é, naturalmente, o que mais se destaca naquele que foi o seu 12° ano a liderar no segmento C-SUV(entre gerações). Realce ainda para a prestação de Micra e do Juke.  Este pequeno modelo passou também a contar com novas opções a gasolina de 100 e 117 CV, incluindo ainda uma versão mais dinâmica denominada N-Sport. Já o Juke, apesar da sua longevidade no mercado, também teve uma boa prestação enquanto se espera já pelo seu sucessor.

Por outro lado, com a mobilidade elétrica em franco crescimento, a Nissan tirou grande partido da chegada do Leaf de nova geração. Num mercado em que as vendas aumentaram 120% face a 2017, a Nissan entregou 2274 unidades daquele compacto elétrico no ano fiscal de 2018, traduzindo um aumento de 630% face ao ano anterior e dispondo de uma quota de 42% no segmento dos elétricos.

Particularmente importante para a Nissan é o fato de Portugal ser o décimo melhor mercado a nível mundial nas vendas do Leaf e o terceiro com o maior crescimento face ao ano anterior. A prestação do Leaf e também do e-NV200 ajudaram a marca a atingir um valor de emissões de CO2 de 92 g/km de média, menos 11% do que no ano fiscal de 2017.

Também na área do Após-Venda a Nissan registou uma boa performance, tendo crescido em quase 15% face ao ano anterior, o que reflete, não só o aumento do parque circulante sustentado pelas vendas crescentes há mais de um década, mas também a aposta dos seus concessionários no serviço ao cliente. Em seis anos, revela a Nissan Portugal, o setor do após-venda na marca cresceu 71%, o que mostra, também, um aumento de satisfação ao nível da avaliação da qualidade dos serviços da marca. A mudança nas instalações e a atualização da imagem de marca serão outros atributos a propor em 2019.

Com Antônio Melica a reforçar que os “objetivos de 2018 foram cumpridos”, a estratégia da Nissan para os próximos anos gira em torno do lema de “zero emissões, zero fatalidades”, pelo qual são propostos três pilares: “a mobilidade inteligente com o desenvolvimento de tecnologias eficientes e ecológicas (como a elétrica), a condução inteligente para aumentar a segurança e o conforto na condução e a integração inteligente, com o carro a estar ligado à rede”. Estes três pilares integram ainda o plano MOVE 2022 que prevê um milhão de carros elétricos na estrada já em 2022, rumo à gama totalmente eletrificada.

Para o ano de 2019, a meta passa pela consolidação das vendas a clientes particulares, ao mesmo tempo fortalecendo o programa de usados e as vendas a frotas, mas também manter o crescimento nos programas de após-venda. Neste cenário, a eletrificação não fica esquecida, com a intenção para 2019 a passar pelo aumento nas vendas dos veículos elétricos (chegando um Leaf e+ com 217 CV e bateria de 72 kWh para maior autonomia), mas também pelo reforço da rede de carregamento com instalação de 120 novos Postos de Carga Rápidos (PCR) até final de 2020. Neste âmbito, importa ainda destacar a chegada de uma Nissan wallbox em maio.

Um esforço que se integra na criação de novas oportunidades de negócio com os Nissan Energy Services para a gestão de energia limpa e eficiente de carregamento, integrando-se com a rede doméstica. Quanto a quotas de mercado para 2019, Melica aponta que a meta dos 5% é objetivo concreto, permitindo um crescimento sustentado da Nissan em Portugal e uma sustentabilidade rigorosa da rede.

VerdeSobreRodas, o ponto de encontro com a mobilidade sustentável


PostagemVendas do Nissan Leaf cresceu 630% em Portugal

Publicado no Verdesobrerodas



Por Motor 24 conteúdo

Nenhum comentário:

Postar um comentário