Este espaço é reservado a quem acredita na mobilidade sustentável e queira se juntar aos números abaixo:

* mais de UM MILHÃO de acessos ; * lido por mais de DEZ países, * mais de DEZ MIL postagens, * postagens (blog e mídias sociais) durante os 365 dias do ano, * newsletters semanal, * parcerias com eventos no Brasil e exterior. Clique AQUI para saber mais.

sábado, 16 de fevereiro de 2019

Condutores preferem tuk tuk elétrico

Os tuk tuk elétricos são mais espaçosos, não fazem barulho, não poluem o ambiente e são mais econômicos. Mas só há vantagens? Quem os conduz garante que sim.

Marco Peixoto conduz um tuk tuk elétrico há poucos meses e não quer outra coisa. "A comunicação com os clientes é muito mais fácil, até porque a cidade já é barulhenta e um veículo a combustão não ajuda, o conforto também é superior, leva seis passageiros, enquanto os outros a combustão transportam quatro."
Acabou-se "o barulho, a trepidação, o cheiro da gasolina e a fumaça". Quanto à funcionalidade não há nada que saber: "um tuk tuk elétrico faz um dia de trabalho completo, cerca de dez ou doze horas, carrega em casa, enquanto dormimos e a seguir volta tudo ao normal".

Para Marco Peixoto nem mesmo a falta de postos de carregamento elétrico pela cidade é um problema: "Nenhum tuk tuk vai ficar na rua, a carregar durante a noite, portanto, não é assim tão essencial como isso". O preço é também mais apetecível: "Gastamos um euro de eletricidade" em vez de "dez euros de gasolina". O patrão, Eduardo Vieira, dono de uma frota de 15 tuk tuk elétricos, assume que é "vantajoso", não só pela questão econômica, "mas também pela qualidade". Vamos a contas: Um tuk tuk elétrico custa cerca de vinte e um mil euros, a combustão custa cerca de metade, ou seja, 11 mil.

Autarquia de Lisboa já proibiu, mas ainda circulam muitos tuk tuk a gasolina na capital
A autarquia de Lisboa já proibiu a circulação dos tuk tuk com motor a combustão, mas isso ainda não se verifica na prática. Eduardo Vieira lembra que "em 2016 emitiram um regulamento em que uma das condicionantes era a transformação dos veículos a gasolina em veículos elétricos. Nós, na altura, tínhamos uma frota veículos a combustão e tivemos de fazer um esforço enorme para transformar os veículos em elétricos", sublinha. Apesar do grande investimento que fez na frota de tuk tuk este empresário espera que o investimento seja compensador, ainda que "a longo prazo".


"O retorno não vem logo, até porque um veículo elétrico não fatura mais do que um veículo não elétrico". A Câmara Municipal não disponibilizou qualquer apoio às empresas de tuk tuk, mas Eduardo Vieira antecipa uma dor de cabeça para a autarquia da capital, uma vez que a "rede elétrica não tem capacidade suficiente para carregar muitos veículos elétricos" nas garagens.

A única desvantagem destes veículos talvez seja a bateria. Marco Peixoto que os conduz todos os dias, lembra que "as baterias quando morrem são bastante poluentes e essa será a única desvantagem, o fato de as baterias não serem cem por cento verdes". A TSF questionou a Câmara de Lisboa sobre a regulamentação destes veículos, mas não obteve qualquer resposta.

VerdeSobreRodas, o ponto de encontro com a mobilidade sustentável

PostagemCondutores preferem tuk tuk elétrico

Publicado no Verdesobrerodas


Por TSF conteúdo

Nenhum comentário:

Postar um comentário