Este espaço é reservado a quem acredita na mobilidade sustentável e queira se juntar aos números abaixo:

* mais de UM MILHÃO de acessos ; * lido por mais de DEZ países, * mais de DEZ MIL postagens, * postagens (blog e mídias sociais) durante os 365 dias do ano, * newsletters semanal, * parcerias com eventos no Brasil e exterior. Clique AQUI para saber mais.

quarta-feira, 30 de janeiro de 2019

VW cria uma das maiores redes de carros elétricos nos EUA


Nos EUA a questão do diesel gate da Volkswagen está a dar origem a uma das maiores redes de carros elétricos, ou seja, na prática o governo federal americano obrigou a empresa alemã a investir 2 mil milhões de dólares numa nova rede de carregamento rápido de veículos elétricos e também em comunicação pedagógica de políticas ambientais. 

Esta obrigatoriedade foi como que em jeito de “compensação” junto dos consumidores americanos, que compraram carros da marca que afinal não cumpriam as normas antipoluição americanas e que teve um grande impacto sobretudo na Califórnia. 
E assim nasceu a empresa Electrify America, que entre muitos fornecedores, americanos e europeus, também tem uma empresa de direito português numa das componentes tecnológicas dos carregadores públicos. 

Mas soube-se na semana passada que afinal esta rede pode dar origem a mais uma dor de cabeça para a Volkswagen, já que a Electrify America teve que fechar uma parte significativa dos carregadores ultra-rápidos, devido a uma “potencial questão de segurança” relacionada com os cabos de alimentação que ligam o carregador ao carro elétrico. 

Em um comunicado de imprensa, a empresa não especifica qual seria o problema de segurança, só que isso afeta os carregadores com capacidade entre 150 e 350 kilowatts e que usam cabos refrigerados a líquido da fornecedora suíça Huber + Suhner, e por uma questão de cautela, neste momento ficam abertas apenas cerca de 80 estações de recarga. 

Além da Electrify America, na Europa a empresa Fastned (que tem uma rede própria na Europa Central) anunciou que desligou todos os seus carregadores de 175kW na Holanda e na Alemanha, citando também problemas com o mesmo tipo de cabos da Huber + Suhner. 

“A segurança de nossos clientes é nossa maior prioridade”, diz a declaração do CEO da Electrify America. Adicionalmente a Electrify America informou que está a investigar esta questão e fará um atualização de progresso com a maior brevidade possível. Do lado da Huber + Suhner esta divulgou um comunicado, dizendo uma localização de teste entrou em curto-circuito na Alemanha, não tendo havido consequências humanas. O comunicado adianta que o curto-circuito ocorreu na ficha de um protótipo de primeira geração da cablagem e que é recomendado aos clientes, como a Electrify America, que seus produtos sejam inspecionados e objeto de teste de carga como medida de precaução. 

A Electrify America planeja instalar 2.000 carregadores na totalidade dos Estados Unidos até junho de 2019, e a empresa abriu o seu primeiro carregador ultra-rápido de 350kW na Califórnia no mês passado.

VerdeSobreRodas, o ponto de encontro com a mobilidade sustentável

PostagemVW cria uma das maiores redes de carros elétricos nos EUA

Publicado no Verdesobrerodas



Por Auto News conteúdo

Nenhum comentário:

Postar um comentário