Este espaço é reservado a quem acredita na mobilidade sustentável e queira se juntar aos números abaixo:

* mais de UM MILHÃO de acessos ; * lido por mais de DEZ países, * mais de DEZ MIL postagens, * postagens (blog e mídias sociais) durante os 365 dias do ano, * newsletters semanal, * parcerias com eventos no Brasil e exterior. Clique AQUI para saber mais.

sábado, 22 de dezembro de 2018

Mitsubishi quer lançar novos modelos elétricos


O Mitsubishi Outlander foi apresentado em 2012, por ocasião do Salão Automóvel de Paris. Chegou ao mercado português no final do ano seguinte. A Aliança Renault/Nissan/Mitsubishi promete dar que falar na área dos automóveis híbridos e elétricos. O início desta parceria surgiu a propósito da tecnologia 4WD para as pick-up. Até ao ano 2020, a Mitsubishi prepara-se para introduzir novos carros elétricos aproveitando a experiência da Renault/Nissan; como “moeda de troca” a Aliança poderá aproveitar o legado da Mitsubishi Motors na área dos sistemas híbridos (PHEV). 

Três anos após o último facelift a marca japonesa realizou uma atualização mais profunda no Outlander. No design são diversas as áreas em que os engenheiros e técnicos trabalharam. As evoluções estéticas são mais evidentes na grelha dianteira, nos faróis LED e para-choques. É no chassis, na suspensão e nos motores, que encontramos as diferenças mais evidentes. O novo motor 2.4 litros a gasolina promete bons consumos que cada jurado do Carro do Ano terá de avaliar. O Outlander pesa 1.800 kg e está “calçado” com pneus 225/55R e jantes de 18 polegadas.

Não fique com a ideia de que o os motores podem trabalhar todos ao mesmo tempo, em conjunto, para obter a velocidade máxima. O sistema híbrido foi evoluído, apesar de se ter mantido o conceito de dois motores elétricos (um por eixo) e um de combustão interna. O motor elétrico dianteiro debita 82 CV, o motor traseiro é agora mais potente com 95 CV. O motor 2.4 com 135 CV e 211 Nm de binário está associado a um gerador com mais 10% de capacidade. Ou seja, o novo motor a gasolina com o ciclo Atkinson, o motor elétrico dianteiro, mais o motor elétrico traseiro e o gerador nunca trabalham em conjunto para acelerar até à velocidade máxima. Tal combinação nunca ocorre na condução real. O sistema PHEV equilibra sempre a combinação mais adequada de modos de transmissão e propulsão. A autonomia anunciada pela marca para a autonomia elétrica é de 45 quilômetros. 

As patilhas funcionam de 0 a 6 gerindo o grau de reaproveitamento energético. O condutor pode sempre optar pelo ‘Modo SAVE’ onde o sistema gere automaticamente a utilização dos motores, poupando carga elétrica ao mesmo que tempo que contribui para poupar combustível. O SUV da marca japonesa conta com três modos de condução. Todos ativados automaticamente pelo sistema PHEV e com tração elétrica permanente 4WD ou modo EV puro até 135 km / h. A bateria demora cerca de 4 horas a ficar totalmente carregada. As novidades são os modos de condução Sport e Snow. 

No caso da versão Instyle o sistema Smartphone Link apoiado numa tela tátil de 7 polegadas compatível com Android Auto e Apple CarPlay. A capacidade do bagageiro é de 453 litros até à chapeleira. Para ajudar a melhorar a qualidade do sistema de som encontramos na mala um enorme subwoofer. Destaque, ainda, para as tomadas elétricas de 1.500 W instaladas (uma atrás do consolo central, disponível para os passageiros traseiros e outra no porta-luvas) para conectar qualquer equipamento externo de 230V, quando não temos rede elétrica por perto.

O SUV da marca japonesa conta com três modos de condução. Todos ativados automaticamente pelo sistema PHEV e com tração elétrica permanente 4WD ou modo EV puro até 135 km / h. A bateria demora cerca de 4 horas a ficar totalmente carregada. As novidades são os modos de condução Sport e Snow.

VerdeSobreRodas, o ponto de encontro com a mobilidade sustentável

PostagemMitsubishi quer lançar novos modelos elétricos

Publicado no Verdesobrerodas



Por Expresso conteúdo

Nenhum comentário:

Postar um comentário