Este espaço é reservado a quem acredita na mobilidade sustentável e queira se juntar aos números abaixo:

* mais de UM MILHÃO de acessos ; * lido por mais de DEZ países, * mais de DEZ MIL postagens, * postagens (blog e mídias sociais) durante os 365 dias do ano, * newsletters semanal, * parcerias com eventos no Brasil e exterior. Clique AQUI para saber mais.

quarta-feira, 12 de dezembro de 2018

Carro solar percorre mais de 4.100 km com e registra recorde


Um carro solar projetado e construído por estudantes universitários da Austrália bateu o recorde mundial de menor consumo de energia.

O veículo chegou em Sydney na última sexta-feira (7), dois dias antes do previsto, após ter percorrido mais de 4,1 mil quilômetros. Apelidado "Violet", o quatro portas elétrico movido a energia solar é resultado do projeto "Sunswift", da Universidade de New South Wales.

O carro partiu de Perth, em 1º de dezembro, e consumiu o equivalente a 40 dólares australianos (R$ 113 reais) de energia, mantendo uma velocidade média de 85 quilômetros por hora e percorrendo 650 quilômetros por dia. "A energia consumida foi cerca de 17 vezes menor do que a que um carro normal consumiria percorrendo a mesma distância", revelou o diretor da faculdade de engenharia da UNSW, Mark Hoffman. "É um carro que leva três passageiros e o condutor, além de não ser desconfortável para viajar", completou.

O time Sunswift é composto por estudantes de várias disciplinas, entre as quais administração, engenharia e desenho industrial. A equipe é mais conhecida pela participação nas edições do World Solar Challenge, a corrida bienal de veículos solares que acontece desde 2013 e atravessa o país por 3022 quilômetros, de Darwin, no Norte, até Adelaide, no Sul. Desde quando foi formada, em 1996, a Sunswift construiu seis carros, sendo o mais recente justamente o Vlolet, também chamado Sunswift VI.

VerdeSobreRodas, o ponto de encontro com a mobilidade sustentável

PostagemCarro solar percorre mais de 4.100 km com e registra recorde

Publicado no Verdesobrerodas



Por Época Negócios conteúdo

Nenhum comentário:

Postar um comentário