Este espaço é reservado a quem acredita na mobilidade sustentável e queira se juntar aos números abaixo:

* mais de UM MILHÃO de acessos ; * lido por mais de DEZ países, * mais de DEZ MIL postagens, * postagens (blog e mídias sociais) durante os 365 dias do ano, * newsletters semanal, * parcerias com eventos no Brasil e exterior. Clique AQUI para saber mais.

quinta-feira, 29 de novembro de 2018

FPT Industrial aposta em veículos elétricos comerciais


No futuro, os veículos serão elétricos, híbridos ou a gás natural? E, se forem elétricos, a fonte de energia virá de baterias ou células de hidrogênio? Para a FPT Industrial (antiga Fiat Powertrain Technologies), não existe uma resposta única. A empresa italiana apresentou na semana passada um conceito batizado de Cursor X, por enquanto uma ideia que reúne várias formas de locomoção em um único conjunto modular. A proposta da empresa é aproveitar o melhor de cada fonte de energia, de acordo com o tipo de uso.

O modo puramente elétrico com baterias é visto pela empresa como uma solução ideal para veículos comerciais de entregas urbanas. Não polui, é silencioso e, em um veículo de carga, tem autonomia de cerca de 200 km. O modo híbrido conjuga duas formas de propulsão (a gás natural e elétrico) e dobra a autonomia (400 km). Isso favorece o uso em percursos urbanos e intermunicipais. Por fim, a modalidade elétrica alimentada por células de hidrogênio é tida como uma possibilidade para transporte pesado e longas distâncias.

De acordo com a presidente mundial da FPT, a italiana Annalisa Stupenengo, “pensar em apenas uma solução seria utópico”. Daí o estudo que deu origem ao Cursor X, que segundo ela é uma “visão de futuro”, mas que funciona. A executiva garante que o protótipo, que tem dimensão semelhante à de um motor de caminhão, já foi testado. Considerado pela FPT como uma “fonte de energia 4.0” (no sentido de tecnologia avançada), o Cursor X poderá ter uma ampla gama de utilização, de furgão de carga a trator, passando por ônibus.

Além do Cursor X, a FPT Industrial revelou também o conceito de um caminhão elétrico alimentado por célula de combustível a hidrogênio. De acordo com a empresa, a tecnologia traz várias vantagens. Uma é a autonomia, estimada em 800 km, de acordo com dados oficiais. Outra, a durabilidade (1 milhão de km ou 20 mil horas). Além disso, o peso é reduzido (70% mais leve que um sistema elétrico com baterias). Por fim, o abastecimento é mais rápido que o carregamento de baterias. A empresa informa que o enchimento dos tanques de hidrogênio demora cerca de 20 minutos. Um modelo similar a bateria precisaria de duas horas, mesmo em sistema de carregamento rápido. Outra vantagem do veículo elétrico movido a célula de combustível é que ele consegue ser muito mais “limpo” que um elétrico convencional. A razão é que grandes baterias poderiam gerar problemas de reciclagem, no fim da vida útil.

O protótipo mostrado pela empresa tem motor elétrico de 400 kW (540 cv), quatro tanques de hidrogênio de fibra de carbono (com capacidade para 2.735 litros), um módulo de célula de combustível (que transforma hidrogênio líquido em energia elétrica) e baterias de íons de lítio. A expectativa da empresa é que o protótipo esteja pronto para ser vendido num prazo de seis anos.

VerdeSobreRodas, o ponto de encontro com a mobilidade sustentável

PostagemFPT Industrial aposta em veículos elétricos comerciais

Publicado no Verdesobrerodas



Por Jornal do Carro Estadão conteúdo

Nenhum comentário:

Postar um comentário