Este espaço é reservado a quem acredita na mobilidade sustentável e queira se juntar aos números abaixo:

* mais de UM MILHÃO de acessos ; * lido por mais de DEZ países, * mais de DEZ MIL postagens, * postagens (blog e mídias sociais) durante os 365 dias do ano, * newsletters semanal, * parcerias com eventos no Brasil e exterior. Clique AQUI para saber mais.

domingo, 4 de novembro de 2018

Chega nova versão híbrida NX300h da Lexus


Meio esquecido entre os utilitários de luxo, o Lexus NX está de motor novo. Saiu de cena o 2.0 turbo de 238 cv e chega uma nova versão híbrida, a NX300h, com um 2.5 acoplado a um motor elétrico e potência combinada de 197 cv. A tabela parte de R$ 229.670 na versão Dyanmic, e vai aos R$ 260.990 do F Sport.

Além do motor, não houveram mudanças no NX. O modelo continua com o visual “diferentão”, cheio de ângulos e vincos pronunciados. As luzes de LED chamam atenção e o carro é, inclusive, mais bonito ao vivo do que parece nas imagens.

Mesmo na versão de topo, com apelo esportivo, a palavra de ordem no SUV da Lexus é conforto. Os bancos são muito confortáveis e suportam bem o corpo dos ocupantes, que podem viajar por horas sem se cansar.

O espaço interno é bom para até quatro pessoas, mas um terceiro ocupante no banco traseiro não sofrerá tanto – um dos alentos e o assoalho plano atrás. Na F Sport testada há itens como um enorme teto solar panorâmico de vidro fixo e bancos de couro com partes vermelhas, em alusão ao caráter mais esportivo da versão. Itens como ar-condicionado automático de duas zonas e central multimídia são de série.

Mas se com o antigo 2.0 turbo o desempenho já era um tanto morno, a versão híbrida, mais fraca, é ainda mais conservadora. Em trânsito urbano, o NX é até ágil, mas não espere arrancadas fortes ou corpo colado no banco. O NX 300h é pura placidez. Mesmo com o modo Sport ativado – que deixa as reações mais rápidas –, o utilitário é “pesadão” e tem reações mais lentas do que com o antigo 2.0 turbo sob o capô.

O câmbio CVT colabora para a suavidade no funcionamento do conjunto, mas também está longe de dar um ar esportivo ao modelo. Ao menos, o silêncio é absoluto na cabine, mesmo quando o 2.5 a gasolina está em funcionamento. 

O silêncio é tanto que a Lexus instalou um sistema que simula o ruído de um motor convencional na cabine do carro. O problema é que o barulho falso não tem relação alguma com a movimentação do carro e só é ligado à velocidade. Conforme o motorista acelera mais, o ruído fica mais alto e simula até trocas de marchas. Que, no entanto, são desmentidas pelo ponteiro do conta-giros fixo numa rotação graças ao câmbio CVT. Felizmente, o duvidoso recurso pode ser desligado por completo por um botão no painel.
 
A contrapartida de ser um híbrido, no entanto, é a economia de combustível. A despeito dos mais de 2.300 quilos, o NX conseguiu rodar até 12 quilômetros com um litro de gasolina na cidade de acordo com o computador de bordo, marca digna de modelos menores.

VerdeSobreRodas, o ponto de encontro com a mobilidade sustentável

PostagemChega nova versão híbrida NX300h da Lexus

Publicado no Verdesobrerodas



Por Jornal do Carro Estadão conteúdo

Nenhum comentário:

Postar um comentário