Este espaço é reservado a quem acredita na mobilidade sustentável e queira se juntar aos números abaixo:

* mais de UM MILHÃO de acessos ; * lido por mais de DEZ países, * mais de DEZ MIL postagens, * postagens (blog e mídias sociais) durante os 365 dias do ano, * newsletters semanal, * parcerias com eventos no Brasil e exterior. Clique AQUI para saber mais.

quarta-feira, 28 de novembro de 2018

Carros elétricos chineses prontos para o mercado europeu


A indústria automóvel chinesa está a trabalhar na eletrificação de uma forma muito mais rápida que a europeia. 

Muitas das marcas locais já têm pelo menos um modelo equipado com baterias, em vez de um motor de combustão, uma necessidade tendo em conta a poluição elevada nos grandes centros urbanos. E embora nem todos estejam à altura dos nossos padrões, estes sete carros elétricos chineses estão prontos para vir para a Europa.

Os construtores automóveis da China têm tido dificuldade em implantar-se no mercado europeu. Muitos dos seus modelos eram demasiado genéricos e com qualidade inferior ao que o público europeu estava habituado. Mas os carros elétricos chineses poderão fazer a diferença, já que muitos deles foram criados por start-ups, têm bases fora da China, os seus modelos destinam-se a um público mais exclusivo e algumas até vão produzir os automóveis na Europa.

A NIO, por exemplo, deverá apostar na sua imagem construída na Fórmula E para lançar o SUV ES8 e o superdesportivo EP9, único do gênero entre este tipo de construtores, com motores de 1360 cv. A Byton esteve em Milão, capital mundial da moda, para mostrar o SUV de luxo M-Byte e o protótipo da berlina de luxo K-Byte. A TPEV já anunciou que os modelos da marca Thunder Power vão ser construídos na Bélgica. 

A SF Motors tem um SUV (SF5) e um crossover (SF7) prontos para os mercados americano e europeu. E a GAC marcou presença em força no Salão de Paris, sendo que o Eupheme, construído em conjunto com a Mitsubishi, estaria à vontade nos concessionários europeus.

Duas marcas chinesas são, na verdade, antigas marcas europeias. Tanto a MG como a Maxus (LDV) são antigas marcas dos grupos British Leyland e Austin-Rover que atualmente estão sob controlo do grupo chinês SAIC. A MG tem estado limitada ao mercado britânico, incluindo com uma fábrica, mas versões 100 por cento elétricas do protótipo desportivo E-Motion e do SUV X-Motion deverão justificar ao regresso ao continente, mesmo com o Brexit. E a Maxus vai expandir além dos comerciais ligeiros com o Tarantula, um SUV que deverá primeiro ser lançado na Rússia.

VerdeSobreRodas, o ponto de encontro com a mobilidade sustentável

PostagemCarros elétricos chineses prontos para o mercado europeu

Publicado no Verdesobrerodas



Por Motor 24 conteúdo

Nenhum comentário:

Postar um comentário