Este espaço é reservado a quem acredita na mobilidade sustentável e queira se juntar aos números abaixo:

* mais de UM MILHÃO de acessos ; * lido por mais de DEZ países, * mais de DEZ MIL postagens, * postagens (blog e mídias sociais) durante os 365 dias do ano, * newsletters semanal, * parcerias com eventos no Brasil e exterior. Clique AQUI para saber mais.

sábado, 27 de outubro de 2018

Construtor chinês quer vender carros elétricos na Europa


Mais uma vez, um construtor chinês de automóveis vai tentar entrar no mercado europeu, e mais uma vez essa marca chinesa vai tentar ter sucesso no mercado internacional construindo unicamente automóveis elétricos. A Thunder Power EV é um projeto ambicioso, que já tem uma base na Europa, e até promete construir os veículos destinados ao mercado europeu no nosso continente.

A marca chinesa é sediada em Hong Kong, mas escolheu Milão como a sua segunda base, para ficar perto de marcas lendárias como a Alfa Romeo, Ferrari, Maserati e Lamborghini. Mas vai em Charleroi, na Bélgica, que a Thunder Power vai construir a sua unidade fabril europeia, que se destina a produzir um novo modelo elétrico citadino, o Thunder Power Chloe. A marca chinesa espera iniciar a produção em 2020 com 10 mil unidades iniciais, para depois expandir para 30 mil unidades no ano seguinte. A fábrica aproveita instalações já existentes, que antes pertenciam à Caterpillar. A marca também tem um centro de pesquisa na Catalunha.

O Chloe será o cavalo de batalha da Thunder Power na Europa, onde vai ser vendido por um preço entre os 12 e os 15 mil euros, equipado com uma bateria de 50 kWh que lhe deverá garantir uma autonomia de 300 km, mais que suficiente para conduzir várias semanas no trânsito das cidades. Mas este não deverá ser o único carro da marca chinesa na Europa.

Tendo iniciado as suas operações em 2015, a Thunder Power já tinha mostrado dois protótipos, uma berlina executiva de três volumes e um SUV compacto, que deverá usar um chassis ultra-leve e baterias até 125 kWh. Ambos vão poder ser equipados com dois a três motores, para opções de tração traseira ou às quatro rodas, e deverão ter autonomias de 650 km. Também vai ser lançado um desportivo especial, com dois lugares, tração às quatro rodas e potência de 660 cv, com produção limitada a 488 unidades.

VerdeSobreRodas, o ponto de encontro com a mobilidade sustentável

PostagemConstrutor chinês quer vender carros elétricos na Europa

Publicado no Verdesobrerodas



Por Motor 24 conteúdo

Um comentário: