Este espaço é reservado a quem acredita na mobilidade sustentável e queira se juntar aos números abaixo:

* mais de UM MILHÃO de acessos ; * lido por mais de DEZ países, * mais de DEZ MIL postagens, * postagens (blog e mídias sociais) durante os 365 dias do ano, * newsletters semanal, * parcerias com eventos no Brasil e exterior. Clique AQUI para saber mais.

sexta-feira, 19 de outubro de 2018

A Nissan quer eletrificar cerca de 40% da gama europeia até 2022


A Nissan quer eletrificar cerca de 40% da gama europeia até 2022. Será que a próxima geração do 370Z e do GT-R estão incluídas no plano?

Ainda não há certezas, mas no futuro os dois desportivos da Nissan podem vir a ser eletrificados. De acordo com a Top Gear o plano de eletrificação da gama pode vir a incluir os desportivos 370Z e GT-R, que estão no mercado há mais de dez anos, para além do Qashqai, X-Trail e outros modelos da marca.

De acordo com um dos chefes de marketing da Nissan, Jean-Pierre Diernaz, os carros desportivos até podem beneficiar do processo de eletrificação. Diernaz afirmou: “eu não vejo a eletrificação e os carros desportivos como tecnologias em conflito. Até pode ser o contrário, e os carros desportivos podem beneficiar bastante da eletrificação”.

No entender de Jean-Pierre Diernaz é mais fácil um motor e uma bateria serem utilizados em diferentes plataformas do que um motor de combustão interna, que é muito mais complexo, facilitando por isso o desenvolvimento de novos modelos. Um dos fatores que dá força à teoria de que a Nissan se prepara para eletrificar os dois desportivos é a entrada da marca na Fórmula E.

Apesar de ter dado a entender que a eletrificação de modelos desportivos é algo que a Nissan vê com bons olhos, Jean-Pierre Diernaz recusou avançar se essa solução irá ser aplicada à dupla 370Z/GT-R, dizendo apenas que os dois modelos vão-se manter fiéis ao seu ADN. O executivo da Nissan aproveitou para afirmar que “os desportivos fazem parte de quem nós somos, por isso de uma forma ou de outra tem de estar presentes” deixando a ideia de que os dois modelos terão sucessores.

Apesar da ligação entre a Renault-Nissan e a Mercedes-AMG, Jean-Pierre Diernaz recusou a ideia de que o futuro GT-R possa vir a ter influência da AMG, dizendo que “Um GT-R é um GT-R. Isso é Nissan tem de continuar especificamente Nissan”. Resta então esperar para ver se a dupla de desportivos vai ser elétrica, híbrida ou se vai continuar fiel aos motores de combustão.

VerdeSobreRodas, o ponto de encontro com a mobilidade sustentável

PostagemA Nissan quer eletrificar cerca de 40% da gama europeia até 2022

Publicado no Verdesobrerodas



Por Razão Automóvel conteúdo

Nenhum comentário:

Postar um comentário