Este espaço é reservado a quem acredita na mobilidade sustentável e queira se juntar aos números abaixo:

* mais de UM MILHÃO de acessos ; * lido por mais de DEZ países, * mais de DEZ MIL postagens, * postagens (blog e mídias sociais) durante os 365 dias do ano, * newsletters semanal, * parcerias com eventos no Brasil e exterior. Clique AQUI para saber mais.

quinta-feira, 6 de setembro de 2018

Mercedes entra na nova era da eletrificação com máxima força


A Mercedes-Benz entra na nova era da eletrificação na máxima força: chama-se EQC e é o primeiro automóvel elétrico a ser lançado ao abrigo da submarca EQ, que representa uma nova era de sustentabilidade para a marca do grupo Daimler.

Não é o primeiro elétrico da Mercedes-Benz, uma vez que o Classe B assumiu esse papel no passado, mas o EQC tem o condão de dar o pontapé de saída para uma nova era da marca, com uma potência combinada de 408 CV (300 kW) e uma autonomia estimada de mais de 450 quilômetros (ainda de acordo com o anterior ciclo NEDC).

O EQC apresenta um novo desenvolvimento de sistema de tração com transmissões elétricas compactas em cada eixo – ou seja, consegue funcionar com tração integral. Para reduzir o consumo de energia e aumentar o dinamismo, as transmissões elétricas são configuradas de maneira diferente: o motor elétrico dianteiro é otimizado para a melhor eficiência possível no intervalo de carga média a baixa, enquanto o traseiro determina o dinamismo. Juntos, geram uma potência de 300 kW (408 CV) e um binário máximo de 765 Nm.

O primeiro modelo da Mercedes-Benz ao abrigo da marca EQ tem muitos detalhes de design pioneiro e destaques de cor típicos da marca com “design do luxo progressivo, que se verifica pela combinação da beleza, de elementos digitais e analógicos, bem como a fusão perfeita de design intuitivo e físico”, refere a marca em comunicado.

No que diz respeito ao desenho, o EQC combina a silhueta de um SUV tradicional com a de um coupé desportivo, demarcando-se na dianteira o grande painel negro que envolve os faróis e a grelha. Pela primeira vez, o painel preto é delimitado no topo por uma fibra ótica, como uma ligação visual entre as lâmpadas de circulação diurna tipo-lanterna, sendo esta uma característica típica da Mercedes-Benz. À noite, cria uma faixa de luz horizontal quase ininterrupta. As caixas internas e os tubos dos faróis Multibeam LED estão personalizadas em preto de alto brilho. Os contrastantes tons de cor confirmam discretamente a associação do modelo à nova família EQ: listas azuis em fundo preto e letteringMultibeam também em azul.

Com os seus dois motores assíncronos, oferece uma potência conjunta de 408 CV/300 kW, conseguindo disponibilizar assim tração integral. A aceleração dos zero aos 100 km/h cumpre-se em 5,1 segundos, conseguindo chegar aos 180 km/h de velocidade máxima (limitada). A bateria de iões de lítio tem uma potência de 80 kWh (pesando 650 kg), com um consumo de 22.2 kWh/100 km.

O EQC admite cinco programas de condução, cada um com características diferentes: Comfort, ECO, Max Range, Sport e ainda um programa adaptável individualmente. O condutor também é capaz de influenciar o nível de recuperação usando os comandos do volante. O sistema ECO Assist oferece ajuda ao condutor por exemplo, alertando quando é apropriado desacelerar (por exemplo, porque o veículo se aproxima do limite de velocidade), apresentando dados de navegação, reconhecimento de sinais de trânsito e informações dos assistentes de segurança inteligentes (radares e câmeras).

Como padrão, o EQC é equipado com um carregador a bordo (OBC) refrigerado a água com capacidade de 7.4 kW, tornando-o adequado para carregamento em casa ou em estações de recarga públicas. Contudo, a marca propõe ainda uma Mercedes-Benz Wallbox, que é até três vezes mais rápida do que numa tomada doméstica. É ainda mais rápido com carregamento DC – que é padrão para o EQC – por exemplo, via CCS (Combined Charging Systems) na Europa e nos EUA e CHAdeMO no Japão ou Grã Bretanha.

Dependendo do SoC (status da carga), o EQC pode ser carregado com uma saída máxima de até 110 kW numa estação de carga apropriada. Em cerca de 40 minutos, a bateria pode ser carregada de 10 a 80%, segundo os dados provisórios apontados pela marca.

Entre as várias medidas levadas a cabo pelos engenheiros da marca alemã durante o processo de desenvolvimento deste EQC, nota para o trabalho efetuado ao nível do conforto sonoro. O EQC tem motores isolados por montagens de borracha em dois pontos: onde o motor se conecta ao chassis e onde o chassis se conecta à carroçaria. Este isolamento efetivo é complementado com medidas de isolamento para um habitáculo extremamente silencioso.

O sistema de infroentretenimento é o novo MBUX – Mercedes-Benz User Experience – que possui várias funções específicas de EQ, como a exibição de faixa, status de carga e fluxo de energia, além de navegação otimizada ou modos de condução também controláveis via MBUX. O visor do MBUX possui um menu especial EQ, onde vários recursos de EQ são agrupados.

Já a navegação otimizada por EQ baseia o seu cálculo na rota mais rápida, levando em consideração o menor tempo de carregamento. O planeamento de rotas também responde dinamicamente a mudanças e pode ocorrer externamente (através da app Mercedes.me) ou no interior do veículo.

VerdeSobreRodas, o ponto de encontro com a mobilidade sustentável

PostagemMercedes entra na nova era da eletrificação com máxima força

Publicado no Verdesobrerodas



Por Motor 24 conteúdo

Nenhum comentário:

Postar um comentário