Este espaço é reservado a quem acredita na mobilidade sustentável e queira se juntar aos números abaixo:

* mais de UM MILHÃO de acessos ; * lido por mais de DEZ países, * mais de DEZ MIL postagens, * postagens (blog e mídias sociais) durante os 365 dias do ano, * newsletters semanal, * parcerias com eventos no Brasil e exterior. Clique AQUI para saber mais.

terça-feira, 17 de julho de 2018

Lamborghini poderá eletrificar o Aventador em breve


Antes dessa nova vida com apoio dos propulsores elétricos, espera-se que venha a surgir uma última edição do atual Aventador que certamente vai ficar na memória, pois deverá ser o último V12 puro saído das linhas de Sant’Agatta Bolognese.

Quem esteja mais atento ao mundo automóvel, pode pensar que as tendências para o futuro estão a passar ao lado da Lamborghini. A marca já disse que será a última a oferecer a condução autônoma e, mais recentemente, disse que não vê tecnologias para fabricar a curto-prazo um veículo 100% elétrico, mas isto não significa que a marca não olhe para a eletricidade como forma de oferecer um “boost” aos seus automóveis.
E agora Stefano Domenicali, o CEO do emblema do touro, confirmou novamente no Festival de Goodwood que a combinação entre a combustão e a eletricidade, através de motorizações híbridas, será uma realidade no próximo Aventador.

A ideia será contar com esta combinação para dar mais potência à próxima geração (ou ao substituto), que contará assim com apoio para o seu bloco V12. Mas, ainda antes, deve sair das linhas da casa de Sant’Agatta Bolognese o último V12 puro, a equipar a edição especial Aventador Superveloce Jota. Ainda não sabemos qual será o poder de fogo deste modelo, mas o objetivo a que ele se propõe é claro: bater o recorde do Porsche 911 GT2 RS no traçado de Nurburgring, trazendo de volta para Itália um título que a Lamborghini teve recentemente com o Huracan Performante.

O Aventador não deve, no entanto, ser o primeiro modelo com motores de combustão e elétrico da marca. Além de estar já anunciado um SUV Urus híbrido (provavelmente adaptando a configuração de 680cv e 850Nm do Porsche Panamera Turbo S E-Hybrid), deve sair ainda antes um exclusivo modelo Asterion, que recebe o mesmo nome do concept de 2014 do Salão de Genebra. Em solo helvético ele surgiu com um sistema Plug-In, que lhe permitia autonomia sem emissões de 50km, e com a combinação entre o V10 5,2L de 610cv e 560Nm e três propulsores elétricos (potência combinada de 300cv) a elevar as suas especificações para os 910cv. 

Além disso, a velocidade máxima anunciada para este superdesportivo híbrido com monocoque em fibra de carbono foi de 320km/h, e a aceleração até aos 100km/h efetuada em 3.0 segundos. Agora ele deve surgir na forma final através de uma produção limitada a 67 unidades, inspiração estética no concept Terzo Millenio, e um preço superior a 2 milhões de euros, segundo informações que estão a ser difundidas por meios de comunicação.

Entre os restantes planos da marca, destaque outros dois pontos. A primeira passa pela eletrificação também do Huracan, que foi igualmente confirmada por Stefano Domenicali, a que se junta a possível introdução de um quarto modelo para a gama da marca. Neste caso a maior aposta vai para um futuro desportivo mais “familiar”, que poderá rivalizar com propostas como o AMG GT quatro portas e que já tinha sido antevisto pelo Estoque concept.

VerdeSobreRodas, o ponto de encontro com a mobilidade sustentável

PostagemLamborghini poderá eletrificar o Aventador em breve

Publicado no Verdesobrerodas



Por Turbo conteúdo

Nenhum comentário:

Postar um comentário