Este espaço é reservado a quem acredita na mobilidade sustentável e queira se juntar aos números abaixo:

* mais de UM MILHÃO de acessos ; * lido por mais de DEZ países, * mais de DEZ MIL postagens, * postagens (blog e mídias sociais) durante os 365 dias do ano, * newsletters semanal, * parcerias com eventos no Brasil e exterior. Clique AQUI para saber mais.

quinta-feira, 21 de junho de 2018

Porsche quer eletrificar mais de metade dos seus modelos até 2025


A Porsche, como todos os outros fabricantes de automóveis, já anunciou ambiciosos planos de eletrificação do seu portfólio — já sabemos o nome do seu primeiro veículo 100% elétrico, as variantes híbridas dos seus modelos conhecem enorme sucesso acima das previsões mais otimistas, e a marca ambiciona eletrificar mais de metade dos seus modelos até 2025.

Seja por vontade própria ou por força do ambiente regulatório, a marcha imparável da eletrificação do automóvel continua a ganhar momento — mas os custos de mudança de paradigma são massivos, assim como as dúvidas sobre a sua rentabilidade, e também a pressão de colocar rapidamente estas soluções no mercado. Considerando este cenário, a surpresa do anúncio da aquisição de 10% da croata Rimac Automobili por parte da Porsche, acaba por não ser surpresa nenhuma, já que temos assistido nos últimos tempos, aos mais variados tipos de aquisições, joint ventures e parcerias técnicas entre fabricantes, fornecedores e startups — este é um “comboio” que ninguém se pode dar ao luxo de perder.

A Rimac Automobili ainda não tem 10 anos de existência — o seu fundador, Mate Rimac, tem apenas 30 anos de idade —, mas já é uma referência em tecnologia para mobilidade elétrica, desenvolvendo e fornecendo baterias de alta tensão, grupos propulsores elétricos e, em paralelo, desenvolve interfaces homem-máquina digitais (HMI). O Koenigsegg Regera é um dos modelos com tecnologia Rimac.

Além disso, também ambiciona ser uma construtora de automóveis hiperdesportivos elétricos, tendo já apresentado o Concept One — catapultado para a fama após o acidente com Richard Hammond —, e em Genebra apresentou o seu segundo modelo, denominado C_Two (que receberá um nome definitivo quando iniciar a sua produção), com números arrasadores: 1914 cv de potência, 2300 Nm de binário, 1,95s dos 0-100 km/h, 11,8s até aos 300 km/h e uma velocidade máxima de… 412 km/h.


Ao desenvolver os super desportivos de dois lugares puramente elétricos, como o Concept One e o C_Two, assim como os sistemas cruciais de veículos, a Rimac demonstrou de forma impressionante as suas credenciais no campo da mobilidade elétrica. Achamos que as ideias e abordagens da Rimac são bastante prometedoras, pelo que esperamos uma colaboração próxima com eles na forma de uma parceria técnica.

O crescimento da Rimac tem sido notável. Nasceu na garagem do fundador e atualmente já tem uma força de trabalho de 400 funcionários e não pretende parar por aqui. Com a Porsche agora em cena, pode ajudar a estabelecer a Rimac como um dos principais fornecedores da indústria em soluções elétricas. “Esta parceria é um passo importante para a Rimac, para nos tornarmos um fornecedor de referência de componentes e sistemas para a indústria em eletrificação, conectividade e no excitante campo de sistemas avançados de assistência ao condutor”. Mate Rimac, CEO da Rimac Automobili.

VerdeSobreRodas, o ponto de encontro com a mobilidade sustentável

PostagemPorsche quer eletrificar mais de metade dos seus modelos até 2025

Publicado no Verdesobrerodas



Por Razão Automóvel conteúdo

Nenhum comentário:

Postar um comentário