Este espaço é reservado a quem acredita na mobilidade sustentável e queira se juntar aos números abaixo:

* mais de UM MILHÃO de acessos ; * lido por mais de DEZ países, * mais de DEZ MIL postagens, * postagens (blog e mídias sociais) durante os 365 dias do ano, * newsletters semanal, * parcerias com eventos no Brasil e exterior. Clique AQUI para saber mais.

sábado, 30 de junho de 2018

Apoio à aquisição de táxi elétrico vai mesmo avançar


Para forçar a descarbonização da frota de táxis, o Governo vai pagar apoios à aquisição de automóveis elétricos por estes profissionais. Além disso, está a pensar impor um limite à idade dos carros. 

A atribuição de apoios à aquisição de táxis elétricos vai mesmo avançar.
Esta medida é uma das recomendações que constam no relatório do grupo de trabalho — que reuniu a Federação Portuguesa do Táxi, a ANTRAL e o Instituto de Mobilidade e Transportes — e será a primeira a ver a luz do dia, avança o secretário de Estado Adjunto e do Ambiente, citado pelo Público (acesso condicionado).

Através da entrega do comprovativo de compra de um veículo 100% elétrico destinado ao serviço de táxi, o Governo vai assim passar a pagar cinco mil euros ao profissional, valor que pode ser majorado devido à idade do veículo: no limite, o apoio a fundo perdido pode mesmo chegar aos 12.500 euros.

Este apoio — cuja verba total disponível para este ano é de 750 mil euros — é um dos esforços do Executivo de Antônio Costa no sentido da descarbonização da frota de táxis, que inclui ainda um incentivo à aquisição e instalação de postos de carregamento destes automóveis, no valor de cinco mil euros. “Isto é algo de completamente novo”, sublinha o secretário de Estado.

Além disso, o Governo também está a preparar a imposição de limites à idade dos automóveis usados para este tipo de serviço. Segundo o governante, a limitação ficará “entre os 10 e os 12 anos”, estando previsto um período de transição. No relatório, constam ainda outras duas medidas, que precisam de mais estudo: a fatura eletrônica certificada e as alterações à formação.

No primeiro ponto, o setor solicita apoios para a colocação dos equipamentos, o que poderá vir a acontecer no ano que vem. No segundo, José Mendes revela que houve consenso entre a FTP e a Antral, com a primeira a querer manter as 125 horas de formação e a segunda a defender uma duração em linha com a requerida aos transportes em veículo descaracterizado a partir de plataforma eletrônica (TVDE). Da parte do Governo, o secretário de Estado diz que lhe “parece natural” que o tempo de formação seja igual para os táxis e os TVDE.

VerdeSobreRodas, o ponto de encontro com a mobilidade sustentável

PostagemApoio à aquisição de táxi elétrico vai mesmo avançar

Publicado no Verdesobrerodas



Por ECO conteúdo

Nenhum comentário:

Postar um comentário