Este espaço é reservado a quem acredita na mobilidade sustentável e queira se juntar aos números abaixo:

* mais de UM MILHÃO de acessos ; * lido por mais de DEZ países, * mais de DEZ MIL postagens, * postagens (blog e mídias sociais) durante os 365 dias do ano, * newsletters semanal, * parcerias com eventos no Brasil e exterior. Clique AQUI para saber mais.

sexta-feira, 4 de maio de 2018

Montadoras apostam cada vez mais na mobilidade elétrica


Construtores cada vez mais apostados na mobilidade elétrica, como o Grupo Volkswagen, a Daimler ou a BMW, acabam de receber uma boa notícia: a Alemanha acaba de ultrapassar a Noruega como o melhor mercado europeu para os elétricos.

A notícia é avançada pela agência noticiosa Bloomberg, numa altura em que a maior parte dos construtores automóveis alemães começam a desenvolver novas propostas de veículos elétricos e eletrificados, muitas delas, com o propósito declarado de combater rivais como a Tesla.

Segundo dados agora divulgados pela Associação da Indústria Automóvel Europeia (ACEA), a venda de veículos electrificados cresceu, na Alemanha, 70 por cento (17 574 unidades), só durante o primeiro trimestre. Posicionando-se, pela primeira vez, em termos absolutos, à frente daquele que é o mercado por excelência para os veículos movidos a eletricidade, no Velho Continente: a Noruega. Mercado onde, nos primeiros três meses de 2018, foram transaccionados 16.182 carros elétricos.

Recorde-se que o Governo alemão tem em vigor um programa de incentivo à compra de veículos elétricos e eletrificados, ao abrigo do qual qualquer cliente particular pode beneficiar de um desconto de 4000 euros, na compra de um veículo elétrico, ou então de 3000 euros, caso se trate de um automóvel híbrido plug-in.

Já na Noruega, os veículos elétricos estiveram, até janeiro deste ano, isentos de todas as taxas e impostos no ato da compra, da taxa anual de circulação, do pagamento de estacionamento e portagens, além de estarem autorizados a circular na faixa dos transportes públicos. Sendo que, desde essa data, passaram a pagar metade do imposto de circulação, além de ter sido atribuído às autoridades locais a decisão de permitir, ou não, os veículos elétricos de continuarem a estacionar gratuitamente e circularem na faixa para BUS.

Numa altura em que os consumidores europeus parecem começar a abandonar o Diesel, também nos restantes países da Europa, a mobilidade elétrica tem vindo a conquistar adeptos. Situação confirmada, aliás, pelos números, os quais revelam um crescimento de 41% na venda de veículos eletrificados no primeiro trimestre de 2018, ao mesmo tempo que os elétricos puros subiram 35%, e os híbridos plug-in — já o Diesel, caiu 17%.

Entretanto, nas cidades alemãs, como Munique, são os modelos elétricos das marcas alemãs, como a Volkswagen, Mercedes, BMW e Audi, que dominam. Ainda que, com construtores até aqui com pouca expressão, como a Tesla, tendo ganho, nos últimos tempos, maior protagonismo.

Contudo, os problemas recentemente noticiados, relacionados com o Tesla Model 3, poderão contribuir para que os primeiros conquistem terreno precioso, no domínio da mobilidade elétrica. “A Era Dourada da Tesla aproxima-se do fim, levando a que os seus produtos sejam apenas mais um, entre muitos. À medida que a oferta em termos de veículos elétricos cresce, a tolerância dos consumidores para com questões de qualidade, tende a diminuir. Assim como entre aqueles que optaram inicialmente por um Tesla, por uma questão de novidade”Juergen Pieper, analista do Bankhaus Metzler

VerdeSobreRodas, o ponto de encontro com a mobilidade sustentável

PostagemMontadoras apostam cada vez mais na mobilidade elétrica

Publicado no Verdesobrerodas



Por Razão Automóvel conteúdo

Nenhum comentário:

Postar um comentário