Este espaço é reservado a quem acredita na mobilidade sustentável e queira se juntar aos números abaixo:

* mais de UM MILHÃO de acessos ; * lido por mais de DEZ países, * mais de DEZ MIL postagens, * postagens (blog e mídias sociais) durante os 365 dias do ano, * newsletters semanal, * parcerias com eventos no Brasil e exterior. Clique AQUI para saber mais.

segunda-feira, 21 de maio de 2018

Modelo GTS 308 é considerado o primeiro Ferrari elétrico do mundo


Esta é a história de um Ferrari 308 GTS que foi abandonado  depois de ter sido consumido pelas chamas. Por fora parece um Ferrari clássico, mas quando o motor arranca todos percebem que é diferente. Porquê? Porque é silencioso.

Este Ferrari 308 GTS é um modelo especial, pois é o considerado como o primeiro Ferrari elétrico do mundo. O carro foi recuperado e transformado depois de ter sido encontrado num ferro-velho.
A ‘obra’ foi feita pelo fundador da empresa norte-americana Electric GT, Eric Hutchison. Um dia, quando falava com o seu parceiro de negócio, Michael Bream, disse que ambos deviam procurar algo que ajudasse a promover os veículos elétricos. Dois dias depois, encontraram o Ferrari num ferro-velho.

“Tivemos de reconstruir tudo de raiz – tivemos de tirar tudo até à armação. (…) Demorou 18 meses até termos o carro num ponto em que nos sentíamos confortáveis”, disse Eric Hutchison em declarações à CNN. O veículo foi rebatizado de Ferrari 308 GTE – tem três baterias, duas delas a ocupar os lugares onde antes ficavam os depósitos de combustível. O carro é alimentado por um motor de 2.000 amperes e tem uma autonomia máxima de 160 quilômetros.

Os aficionados da marca italiana podem pensar que o trabalho de Eric Hutchison não honra a tradição da marca. Mas a resposta do modelo elétrico também já foi dada em pista: no mesmo circuito, conduzido pelo mesmo piloto, o Ferrari 308 GTE foi dez segundos mais rápido do que um Ferrari 308 GTS movido a combustível. O que hoje é uma história que corre o mundo, também teve os seus pontos baixos – Eric Hutchison desistiu quatro vezes da conclusão do projeto, mas acabaria por completar a transformação do veículo depois de um investimento total de dez mil dólares, cerca de 8.500 euros. 

Em 2016 o diretor executivo da Ferrari, Sergio Marchionne, disse que a ideia de um Ferrari elétrico era “obscena”. Este ano, em janeiro, o executivo mudou por completo o seu discurso – na feira automóvel de Detroit, nos EUA, anunciou planos para fabricar um supercarro elétrico, no sentido de combater marcas emergentes como a Tesla. Só não será o primeiro Ferrari elétrico do mundo.
 
VerdeSobreRodas, o ponto de encontro com a mobilidade sustentável

PostagemModelo GTS 308 é considerado o primeiro Ferrari elétrico do mundo

Publicado no Verdesobrerodas



Por Dinheiro Vivo conteúdo

Nenhum comentário:

Postar um comentário