Este espaço é reservado a quem acredita na mobilidade sustentável e queira se juntar aos números abaixo:

* mais de UM MILHÃO de acessos ; * lido por mais de DEZ países, * mais de DEZ MIL postagens, * postagens (blog e mídias sociais) durante os 365 dias do ano, * newsletters semanal, * parcerias com eventos no Brasil e exterior. Clique AQUI para saber mais.

quarta-feira, 2 de maio de 2018

Carros eletrificados deve alcançar 8% na China em 2018


Em 2017 foram vendidos 1,2 milhão de carros elétricos em todo o planeta. Destes, metade foi para o mercado chinês – mais de 100 mil deles, apenas em dezembro.

É muito se pensarmos em nível global, mas pouco para o mercado local: os elétricos corresponderam a 2,1% do total das vendas de automóveis no país.

Mesmo com participação reduzida, carros elétricos são figuras fáceis nas ruas das cidades chinesas.

Derivados de carros convencionais, eles se misturam no trânsito e você só repara neles quando vê um ou outro detalhe azul, não escuta o barulho do motor ou vê um logotipo “EV” na carroceria.

A previsão é que os elétricos e híbridos respondam por 8% das vendas de automóveis na China este ano.

Mas o governo chinês já determinou que 20% dos carros em circulação na China em 2025 deverão ser eletrificados ou movidos a combustíveis alternativos. É possível e não faltam incentivos para isso.

Uma futura proibição de carros novos com motores a combustão já é considerada pelo governo local, que exigiu que as fabricantes instaladas no país dupliquem a autonomia das baterias de veículos elétricos até 2020. Isso não é problema para a China, que tem seis das dez maiores fábricas de baterias de íon lítio do mundo. 
A principal delas, da CATL, será maior do que a fábrica de baterias da Tesla nos EUA em 2020, mas já deixou a sul-coreana LG Chem (com quatro fábricas na China) e a local BYD – que também faz automóveis – para trás.

A CATL recebeu investimento de US$ 15 milhões do governo local. Além disso, uma regra que estabelece uma produção mínima de 8 gigawatts-hora (GWh) de baterias no ano para que as empresas do ramo continuem atuando também a beneficia. Isso força os fabricantes menores a desistir do negócio ou vender sua empresa para outras maiores. 

Enquanto em outros países, como o Brasil, carros 100% elétricos ainda são considerados exóticos. O governo local promove os veículos elétricos com a intenção de reduzir a poluição que freqüentemente envolve cidades chinesas – naturalmente grandes, quando se trata de um país com 1,3 bilhão de habitantes. 
 
O carro elétrico mais vendido da China em 2017 foi o BAIC EC-Series, com 78.079 unidades vendidas. O segundo lugar, porém, é do norte-americano Tesla Model S, com 54.715 carros. Isso mesmo pagando 25% de imposto por ser importado.
Posição
Modelo
Autonomia elétrica
Unidades 
BAIC EC-Series
200 km
78.079
Tesla Model S
540 km
54.715
Toyota Prius Prime Plug-in
50 km
50.830
Nissan Leaf
378 km
47.195
Tesla Model X
475 km
46.535
Zhi Dou D2
120 km
42.342
Renault Zoe
400 km
31.932
BMW i3
200 km
31.410
BYD Song PHEV
80 km
30.920
10°
Chevrolet Bolt
383 km
27.982
11°
JAC iEV6S
278 km
25.741
12°
BYD e5
300 km
23.601
13°
Geely Emgrand EV
253 km
23.324
14°
BYD Qin PHEV
70 km
20.738
15°
SAIC Roewe eRX5 PHEV
60 km
19.510
 Aparecem apenas três carros chineses até a décima posição. Dali em diante, porém, todos são modelos desenvolvidos e produzidos localmente. 


VerdeSobreRodas, o ponto de encontro com a mobilidade sustentável


PostagemCarros eletrificados deve alcançar 8% na China em 2018

Publicado no Verdesobrerodas



Por Quatro Rodas conteúdo

Nenhum comentário:

Postar um comentário