Este espaço é reservado a quem acredita na mobilidade sustentável e queira se juntar aos números abaixo:

* mais de UM MILHÃO de acessos ; * lido por mais de DEZ países, * mais de DEZ MIL postagens, * postagens (blog e mídias sociais) durante os 365 dias do ano, * newsletters semanal, * parcerias com eventos no Brasil e exterior. Clique AQUI para saber mais.

quarta-feira, 28 de março de 2018

Transportes Urbanos de Guimarães terá ônibus elétricos


Os TUG – Transportes Urbanos de Guimarães, vão ser a primeira empresa a operar o primeiro ônibus elétrico português, fornecido pela CaetanoBus. Este será também o primeiro veículo a sair da linha de produção da empresa ligada ao grupo Salvador Caetano.


Com uma autonomia de 150 quilômetros, o ônibus foi construído com tipologia low floor, low entry e tem o acesso para pessoas com mobilidade condicionada.

A apresentação do novo ônibus está prevista para o próximo dia 29 de março, em Guimarães, e contará com a presença do secretário de Estado Adjunto e do Ambiente, José Mendes. Em declarações à Transportes em Revista, Manuel Oliveira, administrador da Arriva Portugal, empresa responsável pela concessão dos TUG, referiu que «este ônibus urbano de 12 metros será o primeiro em operação real no nosso país e foi adquirido no âmbito do concurso destinado à promoção da eficiência energética nos transportes públicos coletivos de passageiros, lançado pelo POSEUR».

O responsável, que falava à margem da conferência “Transportes: Contratualização”, que teve lugar no passado dia 23 de março, em Braga, referiu que existe uma «preocupação muito grande da Arriva com as questões ambientais e energéticas. Esperamos que o modo elétrico seja operacionalmente viável e economicamente possível». O posto de carregamento rápido de 150 kW, único no país, ficará instalado na Central de Camionagem de Guimarães e significou um investimento na ordem dos 150 mil euros, financiado pela autarquia vimaranense.

Manuel Oliveira referiu ainda que a empresa gostaria de continuar a investir em renovação de frota e na aquisição de veículos “amigos do ambiente”, no entanto, salienta, que as «indefinições a que hoje assistimos, relativamente ao regime de contratualização e da entrada em vigor do novo regime jurídico, influenciam as nossas políticas empresariais e de investimento. Nós não sabemos o que vai ser o mercado e o que podemos comprar. A Arriva Portugal irá estar atenta aos concursos que serão lançados, mas por outro lado não sabemos as exigências que irão ter. Estas indefinições prejudicam o investimento».

VerdeSobreRodas, o ponto de encontro com a mobilidade sustentável

PostagemTransportes Urbanos de Guimarães terá ônibus elétricos

Publicado no Verdesobrerodas



Por Transportes em Revista conteúdo

Nenhum comentário:

Postar um comentário