Este espaço é reservado a quem acredita na mobilidade sustentável e queira se juntar aos números abaixo:

* mais de UM MILHÃO de acessos ; * lido por mais de DEZ países, * mais de DEZ MIL postagens, * postagens (blog e mídias sociais) durante os 365 dias do ano, * newsletters semanal, * parcerias com eventos no Brasil e exterior. Clique AQUI para saber mais.

segunda-feira, 12 de março de 2018

Tesla terá centro de pesquisa para motors elétricos na Grécia

Desenvolvido na Escola Politécnica de Atenas, este veículo chamado Pyrforos já foi premiado várias vezes nos últimos anos na competição ecológica Eco-Marathon da Shell, que visa encontrar o veículo que consegue viajar a maior distância possível com a menor energia possível.

A sua reputação "já permitiu que muitos engenheiros gregos fossem contratados em Palo Alto, Califórnia, na sede da Tesla", o fabricante de automóveis elétricos do bilionário Elon Musk, mas também por outros fabricantes estrangeiros, congratula-se Antonios Kladas, chefe do laboratório de motores elétricos da Ecole Polytechnique.

A Tesla anunciou no final de fevereiro que estabelecerá perto de Atenas um centro de pesquisa e desenvolvimento dos seus motores. Um investimento de 750 mil euros considerado "importante" para o país, que surge de um longo período de recessão. "A Tesla vai contratar cerca de 40 engenheiros gregos que estão atualmente a trabalhar no exterior, um passo muito positivo para reverter a fuga de cérebros que o país sofreu durante a crise", disse George Nounesis, diretor de Demokritos, o centro de pesquisa onde a Tesla será estabelecida.

Nounesis espera um maior investimento na inovação na Grécia, observando que as grandes empresas do setor "aproveitarão o valor agregado do capital intelectual disponível para o país".

Cerca de 500 mil pessoas, na sua maioria jovens diplomados com idades entre os 20 e os 40 anos, deixaram o país desde o início da crise da dívida em 2010, que fez cair o produto interno bruto (PIB) do país cerca de um quarto. Mas depois de um crescimento de 1,4% em 2017, não muito longe dos 2,3% de toda a zona do euro, e "com as reformas realizadas, a Grécia beneficiará de um crescimento de 2% em média nos próximos três anos graças ao retorno do modelo econômico tradicional baseado no aumento do consumo, exportações e investimentos", prevê Panayiotis Petrakis, professor de economia da Universidade de Atenas.

O desafio para a Grécia, diz Petrakis, é agora a "estabilização", não só dentro, mas também fora, dada a sua posição geopolítica sensível, entre a Europa, a Turquia e o Médio Oriente.

VerdeSobreRodas, o ponto de encontro com a mobilidade sustentável

PostagemTesla terá centro de pesquisa para motors elétricos na Grécia

Publicado no Verdesobrerodas



Por Notícias ao Minuto conteúdo

Nenhum comentário:

Postar um comentário