Este espaço é reservado a quem acredita na mobilidade sustentável e queira se juntar aos números abaixo:

* mais de UM MILHÃO de acessos ; * lido por mais de DEZ países, * mais de DEZ MIL postagens, * postagens (blog e mídias sociais) durante os 365 dias do ano, * newsletters semanal, * parcerias com eventos no Brasil e exterior. Clique AQUI para saber mais.

quarta-feira, 21 de março de 2018

Suécia tem sistema para carregar caminhões elétricos em movimento


A Suécia é o primeiro país a instalar uma linha que permite carregar, em andamento, as baterias dos motores elétricos dos caminhões.

Ao longo de 2 quilômetros foi instalada uma linha de alta tensão, para já ainda experimental, para que os caminhões não tenham que parar e que permite aos veículos pesados elétricos terem baterias mais pequenas.
O rigor do inverno sueco não é amigo das baterias. Foi isso que levou os cientistas do país escandinavo a pensarem numa alternativa ao carregamento clássico ligado a uma tomada. Em vez disso, criaram um sistema que é "uma forma de diminuir o tamanho das baterias elétricas dos caminhões porque neste caso não é preciso parar o veículo para carregar a bateria", explica o coordenador do projeto, Magnus Ernström.

O coordenador da Estrada Elétrica E16 explica que este "é um sistema de catenárias que utiliza um pantógrafo que está montado no trator de um caminhão pesado com um motor híbrido produzido pela Scania. E as baterias podem ser carregadas de forma dinâmica enquanto o caminhão circula na autoestrada".

À partida, a catenária parece igual à rede de um comboio, mas Magnus Ernström sublinha que existe "uma diferença muito grande das linhas dos comboios que utilizam uma voltagem de 15 mil Volts e neste caso estamos perante uma voltagem semelhante à usada nas linhas de elétricos ou de tróleis urbanos. Ou seja estamos perante 750 a 800 volts de corrente direta (DC)".

Por este motivo também existe uma menor radiação eletromagnética. A poluição gerada pela instalação foi monitorizada e, de acordo com os testes feitos pela Siemens, o eletromagnetismo "não tem grande alcance, apenas chega a 20 centímetros da linha", refere.

Além do Estado sueco, a marca de caminhões Scania e a Siemens são parceiros neste projeto experimental que custa dois milhões de euros por cada quilometro, mas nos dois sentidos da estrada.

O coordenador do projeto, Magnus Ernström, ainda não sabe como vão os utilizadores pagar a utilização desta estrada elétrica. Ainda não é certo se estas autoestradas vão ter uma portagem especial ou se vai ser aplicada uma tarifa plana para o uso da energia. Depois dos testes piloto, que estão agora em execução, os ensaios em larga escala vão decorrer entre 2020 e 2022.

VerdeSobreRodas, o ponto de encontro com a mobilidade sustentável

PostagemSuécia tem sistema para carregar caminhões elétricos em movimento

Publicado no Verdesobrerodas



Por TSF conteúdo

Nenhum comentário:

Postar um comentário