Este espaço é reservado a quem acredita na mobilidade sustentável e queira se juntar aos números abaixo:

* mais de UM MILHÃO de acessos ; * lido por mais de DEZ países, * mais de DEZ MIL postagens, * postagens (blog e mídias sociais) durante os 365 dias do ano, * newsletters semanal, * parcerias com eventos no Brasil e exterior. Clique AQUI para saber mais.

quarta-feira, 14 de março de 2018

Bentley presenta Bentayga eletrificado em Genebra

A ostentação quer dar uma de ecologicamente correta. Depois de os Porsche Cayenne e Panamera ganharem versões híbridas do tipo plug-in (ou seja, que têm tomada para carregar as baterias e privilegiam o uso em modo e létrico), é a vez de o mesmo acontecer com o ultraluxuoso utilitário Bentley Bentayga. A novidade está sendo apresentada no Salão de Genebra, que começou esta semana e continuará aberto ao público até o próximo dia 18.

Lançado em 2016, em versões a gasolina e a diesel, o Bentayga hoje representa cerca de 50% das vendas da Bentley. E, há muito tempo, a marca de Crewe anunciava que estrearia no mundo da eletrificação. Agora, o carro está em exibição na mostra suíça. Mas muitas de suas características técnicas ainda não foram divulgadas — provavelmente isso ficará para o segundo semestre, quando o utilitário plug-in chegar às lojas.

Por ora, o que foi dito é que o Bentayga combinará um motor V6 3.0 turbo a gasolina com um elétrico, também dianteiro, para baixar o gargantuesco consumo das versões atuais (entre 5km/l e 8km/l). Seu peso deverá superar as 2,5 toneladas. Um seletor permitirá ao motorista diversos modos de condução: ele poderá usar o utilitário em modo puramente elétrico (por até 50km); ou combinar os dois motores desde a partida. Uma solução interessante usa informações do GPS para reservar toda a carga da bateria para a etapa final da viagem.

Como compartilha a plataforma PL73 com o Cayenne pós-2017 (Porsche e Bentley são parte do Grupo Volkswagen), o Bentayga plug-in deve usar o mesmo conjunto eletromecânico do Cayenne híbrido de terceira geração, que ainda nem foi lançado lá fora.

Como referência, o atual Panamera V6 2.9 turbo híbrido rende a potência combinada de 462cv, entre seus dois motores. Hoje, os Bentayga “comuns” dispõem de um V8 a gasolina (550cv), um V8 a diesel (435cv) e um enorme W12 a gasolina (608cv). Por dentro, o luxo superlativo de sempre, com uma pequena diferença: os mostradores indicam como o sistema híbrido está funcionando e a quantas anda a carga do pacote de baterias de íon-lítio.

Por fora, só olhos muito atentos perceberão que os miolos das rodas do Bentayga híbrido têm fundo cor de cobre, em vez de preto. Além disso, a lateral traseira esquerda tem uma tampinha para a entrada do cabo de recarga — é igual à da boca do tanque de gasolina, que fica no lado direito.

Até o carregador das baterias, para a parede da garagem, é glamuroso: de alumínio e resina, teve suas linhas criadas pelo afamado designer Philippe Starck. Com o dispositivo, é possível ter recarga total das baterias em duas horas e meia (contra sete horas em uma tomada de 220v comum). 

Ainda não se sabe que preço o Bentayga plug-in terá na Europa e, muito menos, no Brasil, onde sequer as versões “normais” começaram a ser vendidas.

VerdeSobreRodas, o ponto de encontro com a mobilidade sustentável

PostagemBentley presenta Bentayga eletrificado em Genebra

Publicado no Verdesobrerodas



Por Jornal O Globo conteúdo

Nenhum comentário:

Postar um comentário