Este espaço é reservado a quem acredita na mobilidade sustentável e queira se juntar aos números abaixo:

* mais de UM MILHÃO de acessos ; * lido por mais de DEZ países, * mais de DEZ MIL postagens, * postagens (blog e mídias sociais) durante os 365 dias do ano, * newsletters semanal, * parcerias com eventos no Brasil e exterior. Clique AQUI para saber mais.

domingo, 11 de fevereiro de 2018

Carro da Tesla viaja a 40 mil km/h em direção ao cinturão entre Marte e Júpiter

Ao atingir com sucesso o espaço sideral a bordo do Falcon Heavy, o foguete mais poderoso da história, o veículo elétrico Tesla Roadster está à beira de enfrentar uma ameaça que acabará com sua viagem.
  
Atualmente o veículo elétrico está se aproximando da zona perigosa de micrometeoritos e provavelmente irá sofrer o impacto completo da radiação espacial. Na terça-feira (6), o foguete Falcon Heavy da SpaceX, o mais poderoso da história, foi lançado levando a bordo um carro elétrico Tesla.
Segundo indica o portal AutoBlog, o veículo será destruído na sequência dos impactos de micrometeoritos e da radiação espacial.

Neste momento exato, o carro se dirige à velocidade de mais de 40 mil km/h em direção ao cinturão de asteroides, localizado entre Marte e Júpiter. Considerando o tempo que o veículo estará sob os impactos potenciais destes corpos celestes, a probabilidade de um encontro fatal entre o carro e um meteorito é realmente grande.
 
Ademais, vários elementos do veículo, tais como os componentes plásticos e de couro, a pintura exterior e as rodas de borracha serão especialmente sensíveis à ação da radiação.

"Todos os [materiais] orgânicos serão sujeitos à degradação por causa de vários tipos de radiação" presentes no espaço sideral, explicou William Carroll, especialista em química da Universidade de Indiana (EUA.). "Não creio que dure mais que um ano" nesse ambiente desprotegido da radiação solar, disse.

Além disso, o cientista destacou que mesmo a estrutura de fibra de carbono terá uma sorte similar, sendo que a energia da radiação romperá lentamente as conexões moleculares entre o carbono e o hidrogénio. Entretanto, os componentes com melhores chances de sobreviver por mais tempo são os elementos inorgânicos do Tesla Roadster, tais como o chassi de alumínio, as baterias de lítio e os painéis de vidro, capazes de resistir aos impactos de meteoritos.

VerdeSobreRodas, o ponto de encontro com a mobilidade sustentável

Postagem: Carro da Tesla viaja a 40 mil km/h em direção ao cinturão entre Marte e Júpiter
Publicado no Verdesobrerodas

Por Sputniknews conteúdo

Nenhum comentário:

Postar um comentário