Este espaço é reservado a quem acredita na mobilidade sustentável e queira se juntar aos números abaixo:

* mais de UM MILHÃO de acessos ; * lido por mais de DEZ países, * mais de DEZ MIL postagens, * postagens (blog e mídias sociais) durante os 365 dias do ano, * newsletters semanal, * parcerias com eventos no Brasil e exterior. Clique AQUI para saber mais.

quinta-feira, 23 de novembro de 2017

Venda global de veículo elétrico cresce rapidamente

Vendem-se cada vez mais elétricos em todo o mundo. Sendo, só nos primeiros três trimestre de 2017, as vendas subiram 63%. Principal culpada? A China.

Numa altura em que o governo chinês promete restrições à produção e venda de automóveis com motores de combustão, praticamente com a mesma velocidade com que anuncia apoios às viaturas não poluentes, crescem em força as vendas de carros elétricos, em todo o mundo.
Só nos três primeiros trimestres de 2017, venderam-se mais 63% de elétricos e híbridos plug-in, do que em igual período de 2016 — culpa, é claro, daquele que é já o maior mercado mundial, a China.

Segundo dados reunidos pela Bloomberg New Energy Finance (BNEF) e citados pela Automotive News Europe, só no período entre o início de janeiro e o final de setembro, venderam-se um total de 287 mil viaturas elétricas e híbridas plug-in. Com, só o terceiro trimestre, a terminar com uma subida de 23% face ao anterior.

De resto e ainda segundo o mesmo estudo, só a China, somou mais de metade destas vendas realizadas a nível mundial. Com a Europa a terminar logo atrás, como o segundo maior mercado. Embora culpa, também aqui, dos vários apoios concedidos por muitos dos governos à aquisição de elétricos. “O governo chinês está muito determinado em fazer avançar a venda de automóveis elétricos. Uma das razões para isso é o nível de poluição nas grandes cidades chinesas, ao passo que a segunda tem a ver com a possibilidade dos fabricantes chineses terem aqui uma oportunidade de conceber produtos capazes de competir nos mercados internacionais"

Aleksandra O’Donovan, analista de transportes na BNEF e uma das autoras do estudo
Aliás, importa recordar que o crescimento da procura por veículos elétricos na China resulta, também e em grande parte, dos apoios estatais dados pelo governo à aquisição deste tipo de veículos. Apoios que, recorda O’Donovan: “podem mesmo chegar aos 40% do valor do carro, face àquilo que custam os modelos com motores de combustão interna”.

De acordo com os dados da BNEF, as expectativas são de que as vendas de veículos elétricos possam mesmo ultrapassar, pela primeira vez na história, o milhão de unidades transaccionadas, ainda em 2017. Graças também à velocidade que o mercado deste tipo de veículos começa a ganhar, fruto não só do crescimento da infraestrutura de carregamento, como igualmente do aumento das autonomias dos próprios modelos.

De resto e ao mesmo tempo que construtores como o grupo Volkswagen, a Daimler, a Jaguar Land Rover e a Volvo anunciam uma aposta clara na eletrificação da sua gama, vários são os países que começam já a fixar prazos para acabar com a venda de veículos com motores de combustão. Algo que, no caso do Reino Unido e da França, deverá acontecer até 2040, ao passo que, na Holanda, será até 2030.

VerdeSobreRodas, o ponto de encontro com a mobilidade sustentável

PostagemVenda global de veículo elétrico cresce rapidamente.

Publicado no Verdesobrerodas



Por Razão Automóvel conteúdo

Nenhum comentário:

Postar um comentário