Este espaço é reservado a quem acredita na mobilidade sustentável e queira se juntar aos números abaixo:

* mais de UM MILHÃO de acessos ; * lido por mais de DEZ países, * mais de DEZ MIL postagens, * postagens (blog e mídias sociais) durante os 365 dias do ano, * newsletters semanal, * parcerias com eventos no Brasil e exterior. Clique AQUI para saber mais.

sexta-feira, 27 de outubro de 2017

Toshiba apesenta bateria que recarga em apenas seis minutos

A Toshiba desenvolveu uma nova tecnologia para baterias de íons de lítio, que permite uma recarga em apenas seis minutos. O anúncio do fabricante japonês no Salão de Tóquio surge em boa hora, visto que os carros elétricos estão cada vez mais em evidência e o tempo de recarga ainda é algo crucial para sua aceitação junto ao grande público.

O diferencial entre carga mais rápida e a mais lenta, que é o padrão hoje está no anodo da células de lítio, que é o eletrodo carregado negativamente e que é feito de carbono. Quando ocorre a carga ou a descarga de energia na bateria, ele íons se movem do anodo para o cátodo e vice-versa, sendo o cátodo positivo.

O processo, quando acelerado, provoca uma degradação da bateria, o que pode levar a um incêndio. Isso pode ocorrer em um carregador de alta tensão, avariando a bateria ou reduzindo seu ciclo de vida. Por isso, a Toshiba trocou o carbono do anodo, em realidade o óxido de lítio-titânio, pelo óxido de titânio-nióbio.

Esse novo anodo desenvolvido pela Toshiba promete duplicar a densidade da bateria padrão da empresa, que tem 32 kWh, permitindo um tempo de recarga baixíssimo. Com essa meta de seis minutos, a companhia japonesa quer coloca-la no mercado já em 2019, o que sem dúvida é uma boa notícia para as montadoras que possuem contratos com a empresa.

Até agora, a bateria tem sido um dispositivo de rápida evolução no mundo automotivo. Com as de níquel-hidreto metálico focadas nos híbridos, as de lítio ganharam destaque maior por sua eficiência nos carros 100% elétricos. O tempo de recarga rápida caiu de uma hora para 15 minutos em média nos últimos anos, mas a carga completa, lenta, continua variando e alcançando 8 horas ou mais.

O outro ponto é o alcance que, conforme os kWh aumentaram, passou de média de 160 km para o dobro disso em cinco anos, fora as que agora chegam plenamente a 500 ou 600 km de autonomia. Mas, o alvo principal dos fabricantes de automóveis e das empresas do setor eletrônico é ter a bateria de estado sólido.

Esta promete não só baixar o tempo de recarga completa de horas para minutos, como também ampliar a autonomia e a vida útil das células de lítio. A bateria de íons de nióbio já é um bom pulo em direção a esta tecnologia, que tem previsão de surgir no mercado em meados da próxima década.

VerdeSobreRodas, o ponto de encontro com a mobilidade sustentável

PostagemToshiba apesenta bateria que recarga em apenas seis minutos

Publicado no Verdesobrerodas



Por Noticias Automotivas conteúdo

Nenhum comentário:

Postar um comentário