Este espaço é reservado a quem acredita na mobilidade sustentável e queira se juntar aos números abaixo:

* mais de UM MILHÃO de acessos ; * lido por mais de DEZ países, * mais de DEZ MIL postagens, * postagens (blog e mídias sociais) durante os 365 dias do ano, * newsletters semanal, * parcerias com eventos no Brasil e exterior. Clique AQUI para saber mais.

quinta-feira, 5 de outubro de 2017

Nissan defende cidades muito mais sustentáveis

No caminho rumo ao futuro, a Nissan tem uma meta bem estabelecida: tornar as cidades num grande meio integrado em que todos os elementos disputam a sua quota-parte para conseguirem cidades muito mais sustentáveis e em que a pegada ecológica humana seja reduzida ao mínimo.

Com estas noções bem presentes, a Nissan tem em marcha um plano que prevê não só novos veículos elétricos, mas também inovações na área do carregamento e do armazenamento de energia, além de uma novidade fundamental na forma de energia gratuita para os seus clientes graças à tecnologia bidirecional ‘Vehicle to Grid’.

A Nissan chama-lhe Intelligent Mobility e compreende três pilares fundamentais – Intelligent Power, Intelligent Driving e Intelligent Integration -, conforme explicou o CEO da Nissan Europa, Paul Wilcox, num evento exclusivo em que o Motor24 esteve presente na cidade Oslo, na Noruega, denominado ‘Nissan Futures 3.0 – The Car and Beyond’.

Na ótica de Wilcox, a Nissan terá de se adaptar para uma oferta de produtos (entenda-se, carros) e serviços que sejam “inteligentes, conectados e acessíveis”, ou uma visão de ‘ecossistema elétrico’, sendo o novo Leaf um exemplo dessa mesma filosofia de princípios. 

Falando sobre este modelo em particular, o CEO da Nissan recorda o lançamento do primeiro modelo, há oito anos, “quando alguns acharam que éramos loucos por lançar uma tecnologia inovadora e ainda sem provas dadas. Houve até quem duvidasse da necessidade dos veículos elétricos nas sociedades modernas. Mas os anos deram-nos razão”.

Por esse mesmo motivo, Wilcox expressa a sua ideia de que “a Nissan está à frente da indústria automóvel em cerca de uma década. Mas não vai parar aqui. A próxima década será de disrupção e indo até mais longe do que as nossas previsões iniciais, prevemos que em 2027 cerca de 30% das vendas de carros na Europa sejam de elétricos”.

Curiosamente, num evento que tratou de vanguarda, houve também uma menção curiosa ao primeiro elétrico da Nissan, datado de 1947, quando o Tama foi lançado no Japão para manter os condutores domésticos em andamento mesmo com a escassez de combustível após a Segunda Guerra Mundial. Desse Tama ao Leaf passaram-se décadas e é este último que será uma das grandes ‘armas’ da marca para os próximos anos, associando-se ainda ao mais competente e-NV200 que ganha mais 100 quilômetros de autonomia graças a uma nova bateria de 40 kWh.
Esta variante terá importância para reduzir as emissões geradas pelos veículos comerciais, que a marca aponta terem crescido substancialmente desde o início do milênio em virtude do cada vez maior peso das compras online. A Nissan indica que em comparação com a viragem do milênio existam mais 38% mais de comerciais para a distribuição de encomendas no Reino Unido, representando 16% da poluição local produzida pelo setor dos transportes.

Para fazer face ao previsível crescimento nas vendas de elétricos, a Nissan anunciou igualmente a sua pretensão de aumentar em 20% a rede de carregamento ao longo dos próximos 18 meses. Com o padrão de carregamento CHAdeMO, a marca instalou já mais de 4.600 postos de carregamento rápido em toda a Europa, mas o objetivo é aumentar em mais 1.000 esse valor até 2019, trabalhando em conjunto com os seus parceiros, autarquias e líderes do setor energético em diversos países europeus para tornar esta realidade mais imediata. Isto porque a Nissan admite que é mais fácil procurar avanços provenientes de municípios do que esforços concertados com os Governos dos países.

Em termos de avanços nas baterias, a Nissan tem um novo carregador doméstico rápido de 7 kW para casa e empresas que permite recarregar na totalidade a baterias dos elétricos em 5.5 horas, ou seja, uma redução de 70% no tempo exigido hoje. Já o carregador de 22 kW permite agora recarregar a bateria elétrica em duas horas, sendo esta principalmente orientada para operadores de frotas e empresas de grande porte, embora os consumidores também o possam adquirir.

Por fim, para sustentar as necessidades energéticas das habitações, a marca revelou a evolução do seu sistema de armazenamento doméstico que surge na peugada do xStorage. Criado especialmente para os proprietários de veículos elétricos, este acumulador vem com um sistema de armazenamento de energia integrado, permitindo assim gerir melhor os custos energéticos e até gerar energia proveniente de painéis solares para a obtenção de energia 100% ‘limpa’.

Com o sistema atual xStorage, desenvolvido em parceria com a Eaton, a ter já um total de 1.000 unidades vendidas na Europa em apenas três meses, a companhia espera atingir um total de 5.000 unidades em março do próximo ano. Para o Ano Fiscal de 2020 na Europa, a meta é ainda mais ambiciosa: 100.000 unidades de armazenamento de energia vendidas.

VerdeSobreRodas, o ponto de encontro com a mobilidade sustentável

PostagemNissan defende cidades muito mais sustentáveis

Publicado no Verdesobrerodas



Por motor24 conteúdo

Nenhum comentário:

Postar um comentário