Este espaço é reservado a quem acredita na mobilidade sustentável e queira se juntar aos números abaixo:

* mais de UM MILHÃO de acessos ; * lido por mais de DEZ países, * mais de DEZ MIL postagens, * postagens (blog e mídias sociais) durante os 365 dias do ano, * newsletters semanal, * parcerias com eventos no Brasil e exterior. Clique AQUI para saber mais.

domingo, 17 de setembro de 2017

Mercedes-Benz e Smart divulgam estratégias de modelos elétricos

Durante a apresentação da Daimler no Salão de Frankfurt foram anunciadas medidas mais concretas sobre como a estratégia CASE seria aplicada em ambas as marcas do grupo: Mercedes-Benz e Smart.

CASE é um acrônimo que significa Connected, Autonomous, Shared e Electric – conectado, autônomo, partilhado e elétrico -, e são os quatro pilares de desenvolvimento que guiarão as duas marcas para o futuro. E foi precisamente em Frankfurt que pudemos ver o primeiro concept que integrou todas estas características – o smart vision EQ fortwo.

No seguimento desta estratégia, a marca do fortwo e forfour anunciou que os seus modelos com motores térmicos serão descontinuados e a partir de 2019 só haverá automóveis Smart com motores elétricos. Esta medida será aplicada inicialmente na Europa e Estados Unidos da América, mas será progressivamente aplicada em todos os mercados onde a marca opera.Esta medida não deixa de ser um regresso às origens da marca no início da década de 90. 

O Smart nasceu da parceria entre a Daimler e a Swatch – sim, essa mesmo, a dos relógios. A ideia original proveio de Nicolas Hayek, o CEO da Swatch na altura, que idealizava sobre um novo automóvel citadino que recorresse às mesmas estratégias de produção e personalização que tão bem serviram a Swatch. A ideia ganharia rapidamente o nome de “Swatchmobile”.

Segundo a visão original de Hayek, o pequeno carro de apenas dois lugares seria elétrico – com motores montados nas rodas -, sem dúvida a melhor solução para as deslocações urbanas. Mas tal não aconteceria. Só 10 anos após o lançamento do primeiro Smart, já em 2007, é que ganharia uma motorização elétrica.
Foi nesse ano que 100 fortwo elétricos foram colocados em circulação na cidade de Londres para efeitos de testes, antecipando o futuro Smart fortwo ED (Electric Drive). O anúncio agora efetuado é como um fechar do círculo, regressando ao ponto de origem e à visão original pretendida para o pequeno Smart.

É uma medida significativa, que praticamente reinventa a marca, obrigando a uma nova abordagem e até mentalidade por todos os que lidam com ela, onde se inclui a rede de distribuição em Portugal. Esta já prepara o terreno para uma Smart convertida à mobilidade 100% elétrica.

VerdeSobreRodas, o ponto de encontro com a mobilidade sustentável

PostagemMercedes-Benz e Smart divulgam estratégias de modelos elétricos

Publicado no Verdesobrerodas



Por Razão Automóvel conteúdo

Nenhum comentário:

Postar um comentário