Este espaço é reservado a quem acredita na mobilidade sustentável e queira se juntar aos números abaixo:

* mais de UM MILHÃO de acessos ; * lido por mais de DEZ países, * mais de DEZ MIL postagens, * postagens (blog e mídias sociais) durante os 365 dias do ano, * newsletters semanal, * parcerias com eventos no Brasil e exterior. Clique AQUI para saber mais.

sexta-feira, 15 de setembro de 2017

GM faz investimento bilionário em carros elétricos e autônomos

O ano de 2020 será um marco para a indústria automotiva mundial. É no começo da próxima década que os fabricantes de veículos prometem a condução autônoma para os consumidores comuns. Apesar de ainda faltar alguns anos, a evolução na automação dos carros e também na inteligência artificial faz com que alguns já estejam prontos para o mercado.

A Tesla, por exemplo, resolveu liberar sua tecnologia aos poucos, usando os clientes como pilotos de teste. As experiências deles alimentam os bancos de dados que tornam seu sistema cada vez mais inteligentes, pois não mais simulam um ambiente real, eles estão na vida real do trânsito e das pessoas.

Mas, se Elon Musk chama atenção da mídia no melhor estilo Tony Stark, alguns trabalham de forma mais discreta, tais como a Cruise Automation. A startup americana de automação veicular só chamou a atenção do mundo quando a GM decidiu pagar US$ 1,1 bilhão para te-la de forma exclusiva. A soma elevada fez com que o mercado e a indústria olhassem com mais atenção para essa empresa, chefiada por Kyle Vogt.

Prontamente, a GM liberou seu mais recente elétrico, o Chevrolet Bolt, que passou a ser testado em algumas cidades dos EUA. Parece que tal negócio começou há muitos anos, não é mesmo? Apenas parece, pois a compra da Cruise Automation ocorreu em março de 2016 e os testes com o Bolt, assim como também com a Lyft (empresa de compartilhamento da GM), iniciaram poucos meses depois. Pois é, pouco mais de um ano em que a GM surpreendeu com uma compra bilionária, Kyle Vogt faz um anúncio surpreendente nas redes sociais.

De acordo com o CEO da Cruise Automation, o Chevrolet Bolt com a tecnologia de condução autônoma desenvolvida pela empresa, já está pronto para produção em massa. Vogt ainda vai além, dando detalhes que corroboram para a informação. Segundo ele, o monovolume elétrico tem o pacote de segurança de fábrica funcional, incluindo airbags, zonas de deformação, freios, etc. Ele também comenta que o veículo possui as facilidades originais, inclusive com “bancos confortáveis”.

Kyle Vogt também revela a capacidade produtiva para o Chevrolet Bolt autônomo: 100.000 unidades por ano. Ele se refere à planta da GM em Lake Orion, Michigan, onde o elétrico é fabricado atualmente. O chefe da Cruise diz ainda esse volume permitirá que a planta fique mais ocupada. E de onde vem a segurança para tal afirmação sobre a condução autônoma do modelo?
De acordo com o CEO, o Chevrolet Bolt emprega agora a terceira geração de sistemas de condução autônoma, incluindo eletricidade, comunicação e atuadores completamente novos e, o mais importante, tolerantes a falhas. Vogt explica que o compacto da GM não pode confiar no ser humano como um backup em caso de falha. Isto porque a tecnologia consiste em condução plena sem condutor, o que significa dizer que o carro contará somente consigo mesmo.
  
Sem legislação, o Chevrolet Bolt da Cruise já pode ser produzido e vendido, mas não pode circular pelas ruas de forma legal. Para isso, o congresso americano está se mexendo para aprovar leis que visem liberar juridicamente o trânsito de veículos sem condutor a bordo e de carros onde o motorista pode virar passageiro quando quiser.

Esta semana, o governo Trump lançou uma segunda revisão de diretrizes para condução autônoma, dando autonomia aos fabricantes em detrimento das restrições impostos na administração anterior. Críticos dizem que as montadoras farão o que quiserem nas estradas americanas, colocando em risco a segurança das pessoas. O governo defende que as empresas terão maior liberdade para inovar e desenvolver suas tecnologias. Um terceiro pacote de medidas para regular o segmento será revelada em 2018.

Enquanto a legislação para condução autônoma ainda está na esfera política, que também incluirá os 51 estados, a Cruise aproveitará o tempo para aperfeiçoar mais a tecnologias com novas gerações do sistema, incluindo ainda mais situações e coisas do cotidiano para alimentar o banco de dados do futuro Bolt autônomo. Recentemente, a empresa recebeu US$ 14 milhões para ampliar seu centro de pesquisa e desenvolvimento na Califórnia e mais pessoal para aumentar a equipe técnica.

VerdeSobreRodas, o ponto de encontro com a mobilidade sustentável

PostagemGM faz investimento bilionário em carros elétricos e autônomos

Publicado no Verdesobrerodas



Por Noticias Automotivas conteúdo

Nenhum comentário:

Postar um comentário