Este espaço é reservado a quem acredita na mobilidade sustentável e queira se juntar aos números abaixo:

* mais de UM MILHÃO de acessos ; * lido por mais de DEZ países, * mais de DEZ MIL postagens, * postagens (blog e mídias sociais) durante os 365 dias do ano, * newsletters semanal, * parcerias com eventos no Brasil e exterior. Clique AQUI para saber mais.

domingo, 24 de setembro de 2017

Fabricantes apostam em superdesportivos elétricos

O campo dos superdesportivos elétricos tem sido fértil na revelação de novas marcas com projetos verdadeiramente loucos. A demonstração máxima dessa realidade é o NIO EP9 com uma volta recordista em Nurburgring, mas outro caso é a Rimac. 

O fabricante croata, especializado na produção de baterias para veículos elétricos de elevada performance (fornece o Koenigsegg Regera e o Aston Martin Valkyrie), ficou famoso quando o seu poderoso Concept_One foi protagonista de um violento acidente no programa Grand Tour, com Richard Hammond ao volante, mas não desmoralizou e promete agora voltar à carga.

A informação foi confirmada por Monika Mikal, a Diretora-Executiva da Rimac, que avançou que a empresa já desenvolve um segundo modelo de produção, mais confortável mas também mais caro. Uma das razões para o aumento de preço está nas performances ainda mais estupendas que o Concept_One, algo verdadeiramente incrível quando se verifica que este superdesportivo híbrido alcança os 100km/h em 2,5 segundos e tem uma velocidade máxima de 355 km/h. 

Para tal, recorre a uma configuração de quatro motores elétricos, cada um deles com uma transmissão específica, enquanto a vectorização de binário independente garante máxima tração em cada roda. Algo sem dúvida essencial, quando se está a lidar com 1224CV e 1600Nm.

Uma boa notícia é que mais condutores vão poder estar ao volante de um Rimac, pois ao contrário das parcas 8 unidades do primeiro superdesportivo elétrico, a marca quer agora produzir 100 exemplares, a uma média de 20 por ano. O objetivo dos croatas é claro, “jogar na mesma liga da Pagani e da Koenigsegg”, algo para que poderá ser importante o aumento da autonomia dos atuais 320km. No entanto, Mikal recorda que este não é um ponto fulcral para os potenciais clientes, pois este não é um carro adquirido para a condução quotidiana…

VerdeSobreRodas, o ponto de encontro com a mobilidade sustentável

PostagemFabricantes apostam em superdesportivos elétricos

Publicado no Verdesobrerodas



Por motor24 conteúdo

Nenhum comentário:

Postar um comentário