Este espaço é reservado a quem acredita na mobilidade sustentável e queira se juntar aos números abaixo:

* mais de UM MILHÃO de acessos ; * lido por mais de DEZ países, * mais de DEZ MIL postagens, * postagens (blog e mídias sociais) durante os 365 dias do ano, * newsletters semanal, * parcerias com eventos no Brasil e exterior. Clique AQUI para saber mais.

quarta-feira, 2 de agosto de 2017

Planta de Portugal já produz caminhão elétrico em série

A planta portuguesa da Daimler em Tramagal já produz em série o primeiro caminhão elétrico do mundo. Trata-se do Mitsubishi Fuso eCanter, ideal para a distribuição logística urbana em zonas onde esteja vetada a circulação de veículos à combustão interna - como zonas de pedestres.

A Daimler, que é dona da Mitsubishi Fuso, afirma que economiza 1.000 euros em custos operacionais a cada 10.000 km - cerca de 64% menos em relação ao diesel. 

Esses caminhões elétricos, que já provaram seu valor durante testes piloto em condições reais de uso, agora são produzidos em séries pequenas conforme a demanda.

A partir de 2014 começaram os testes com oito unidades que foram utilizadas em Portugal para serviços públicos pelas empresas Transporta, de logística urbana; REN, de fornecimento de energia; e CTT, serviço postal luso. Esses caminhões rodaram 51.500 km sem apresentar nenhum tipo de problema durante um ano.

Tramagal produz exclusivamente esse modelo para todo o mundo, e os primeiros clientes do Fuso elétrico receberão seus caminhões em poucas semanas, como a Seven-Eleven, que adquiriu 25 unidades para o Japão. As baterias são de origem de um fornecedor alemão, a Accumotive.

O Fuso eCanter conta com um motor elétrico de 150 cv que move suas rodas traseiras pelo mesmo eixo de transmissão do modelo convencional, entrega instantaneamente 380 Nm de torque (650 Nm no pico) e atinge uma velocidade máxima de 90 km/h, o limite legal para esse tipo de veículo.

As baterias do Fuso eCanter, refrigeradas à água, têm 70 kWh de capacidade, comparável com um Tesla atual e acima de um turismo. As baterias de íons de lítio se dividem em cinco módulos que se repartem aos lados do chassi e debaixo da cabine. Podem ser carregadas em sete horas em carga lenta, o em uma hora em carga rápida.

A autonomia é de 100 quilômetros, embora os testes piloto em Portugal revelassem a possibilidade de ir até 109 km sem esgotar as baterias. Como é um caminhão de transporte urbano, quanto mais lento circula, maior é a economia. Os modelos Fuso diesel anunciam um consumo aproximado de 14 litros/100 km, enquanto que os elétricos gastam 47,6 kWh/100 km. Isso significa que o elétrico é três vezes mais eficiente.

Sua massa máxima autorizada é de seis toneladas e a capacidade útil é de duas a três toneladas (conforme combinação caixa-chassi), que é mais que suficiente para trabalhos de transporte de percurso curto. A autonomia também se adapta à realidade desse tipo de caminhão, em muitos casos inclusive podendo sobrar.

Para evitar acidentes por seu nulo nível de ruído, conta com um gerador de som de baixa intensidade para ser perceptível para os pedestres. Para os caminhoneiros é um veículo muito cômodo, especialmente para manobras em baixa velocidade, e com uma aceleração comparável a um turismo. No teste piloto as opiniões foram muito positivas.

A linha de caminhões leves Fuso é uma das mais ecológicas do mercado, não só por adotar a norma Euro 6 antes de vários concorrentes - como os Nissan NT- mas por oferecer uma versão híbrida de produção em série desde 2006, que economiza cerca de 23% de diesel. A Daimler também está trabalhando em um caminhão maior com propulsão elétrica, com a marca Mercedes-Benz, o Urban eTruck.

VerdeSobreRodas, o ponto de encontro com a mobilidade sustentável

PostagemPlanta de Portugal já produz caminhão elétrico em série

Publicado no Verdesobrerodas



Por PlanetCarsz conteúdo

Nenhum comentário:

Postar um comentário