Este espaço é reservado a quem acredita na mobilidade sustentável e queira se juntar aos números abaixo:

* mais de UM MILHÃO de acessos ; * lido por mais de DEZ países, * mais de DEZ MIL postagens, * postagens (blog e mídias sociais) durante os 365 dias do ano, * newsletters semanal, * parcerias com eventos no Brasil e exterior. Clique AQUI para saber mais.

terça-feira, 2 de maio de 2017

Indústria do petróleo admite que VEs reduzirão consumo de gasolina

Falando nesta semana na conferência Bloomberg New Energy Finance, em Nova York, o economista chefe de energia da Total SA, Joel Couse, previu que os VEs representarão entre 15 e 30% das vendas globais de veículos novos, até 2030.
A demanda de petróleo para combustível de transporte terá sua "demanda bastante diminuída", depois de 2030, ou "Talvez até mesmo antes.", disse Couse.

A Royal Dutch Shell Plc vê uma tendência semelhante com a demanda de petróleo no transporte achatamento no futuro próximo. O presidente-executivo Ben van Beurden disse em março que a demanda de petróleo pode atingir o pico no final dos anos 2020. Em novembro, durante uma entrevista, o CFO da Shell Simon Henry disse que a demanda deve atingir o pico em cerca de cinco anos.

A Shell e a Total SA têm procurado diversificar os seus ativos energéticos através do hidrogénio como combustível de transporte. Em janeiro, ambas as companhias juntaram-se a um conselho global do hidrogênio que conta com a Toyota, Liquide SA e a Linde AG. As empresas estarão investindo cerca de US $ 10,7 bilhões em produtos de hidrogênio nos próximos cinco anos.

Os especialistas de EVs apontam para duas tendências que se aproximam rapidamente do mercado: aumento da autonomia dos modelos elétricos que estão chegando ao mercado- como o Chevy Bolt e Tesla Modelo 3, bem como as versões mais caras do Tesla Modelo S e Modelo X e a ampliação dos serviços de carros compartilhados. Além disso, a montadora está se sentindo pressionada por rígidas regras de redução de emissões na Europa e na China, com outros mercados como os EUA, Japão e Coreia do Sul com padrões semelhantes.
 
Os preços da bateria de íons de lítio estão caindo cerca de 20% ao ano, como montadoras investindo bilhões em eletrificação dos veículos. A Volkswagen quer ter pelo menos 25% de modelos elétricos, até 2025.
  
Outro dado do relatório da Total é o portfólio diverso e amplo de EVs que montadoras lançarão em breve. "Até 2020, haverá mais de 120 modelos diferentes de EV ", disse Michael Liebreich, fundador da Bloomberg New Energy Finance. "Eles são ótimos carros e farão os modelos equivalentes à combustão interna parecerem antiquados. "

Os carros elétricos representam, aproximadamente, 1% das vendas globais de veículos, transformar em 30% a curto prazo, seria um salto enorme. Os analistas consideram a redução do preço do carro, autonomia mínima de 400 quilômetros e infraestrutura de carregamento rápido adequada como os principais fatores para que os VEs tenham peneração mais significativa.

VerdeSobreRodas, o ponto de encontro com a mobilidade sustentável

Postagem: Indústria do petróleo admite que VEs reduzirão consumo de gasolina
Publicado no Verdesobrerodas



Por Nasdaq conteúdo

Nenhum comentário:

Postar um comentário