Este espaço é reservado a quem acredita na mobilidade sustentável e queira se juntar aos números abaixo:

* mais de UM MILHÃO de acessos se somadas as mídias sociais, * mais de MEIO MILHÃO de acessos somente no VSR, * lido por mais de DEZ países, * mais de SETE MIL postagens, * postagens (blog e mídias sociais) durante os 365 dias do ano, * newsletters semanal, * parcerias com eventos no Brasil e exterior. Clique AQUI para saber mais.

quarta-feira, 12 de abril de 2017

Quantino nano flow cell registra recorde ao rodar 1.000 em 8h21min

O sistema nano flow cell recorre a um líquido de reabastecimento que custa apenas 10 cêntimos por litro e é inofensivo para o meio-ambiente. O Quantino pode não ganhar prêmios de design, mas a sua tecnologia pode revolucionar a locomoção elétrica do futuro.

Este carro elétrico, feito pela empresa suiça de investigação e desenvolvimento nanoFlowcell, acaba de bater um recorde silencioso, ao percorrer a distância de mil quilômetros em apenas oito horas e 21 minutos. Um feito impossível para qualquer outro carro elétrico conhecido.

Num carro elétrico equipado com baterias convencionais, tanto a limitada capacidade de armazenamento como o tempo necessário para uma recarga inviabilizariam este feito. Pelo contrário, o Quantino está equipado com uma inovadora bateria do tipo nano flow-cell, cuja recarga não se faz com eletricidade, mas sim com líquidos, que demoram tanto a reabastecer como a gasolina ou o gasóleo.

O recorde foi batido em normalíssimas autoestradas suíças, obedecendo aos limites de velocidade. “Se o tivéssemos feito numa pista fechada teria sido muito mais fácil”, afirmam os responsáveis pela nanoFlowcell.

O Quantino é um veículo já exibido em salões internacionais, de configuração 2+2 lugares. O seu grande trunfo está na primeira célula do tipo flowcell suficientemente compacta para ser aplicada num automóvel.

A nanoFlowcell é um novo sistema de armazenamento de energia com enorme potencial de aplicação móvel. Ao contrário das baterias tradicionais, este sistema é abastecido através de eletrólitos líquidos (bi-ION), um com carga negativa, outro com carga positiva. O carro tem portanto dois depósitos de eletrólito. Este é depois bombeado por circuitos separados para um conversor que é, na realidade, a célula do sistema. Neste conversor os dois líquidos ficam separados apenas por uma membrana permeável, que permite a troca iônica entre as duas soluções líquidas. É esta troca de iões que converte a energia química do bi-ION em eletricidade, utilizada pelo carro na locomoção.
 

VerdeSobreRodas, o ponto de encontro com a mobilidade sustentável

PostagemQuantino nano flow cell registra recorde ao rodar 1.000 em 8h21min

Publicado no Verdesobrerodas



Por O Jogo conteúdo

Nenhum comentário:

Postar um comentário