Este espaço é reservado a quem acredita na mobilidade sustentável e queira se juntar aos números abaixo:

* mais de UM MILHÃO de acessos se somadas as mídias sociais, * mais de MEIO MILHÃO de acessos somente no VSR, * lido por mais de DEZ países, * mais de SETE MIL postagens, * postagens (blog e mídias sociais) durante os 365 dias do ano, * newsletters semanal, * parcerias com eventos no Brasil e exterior. Clique AQUI para saber mais.

quinta-feira, 13 de abril de 2017

Ford retira elétrico Focus de produção

A Ford vai descontinuar a produção da versão elétrica do seu compacto Focus, que era montado na fábrica alemã de Saarlouis desde 2013, de onde saem também as versões do modelo com motores térmicos convencionais, reporta a Automotive News Europe.

O modelo numa conseguiu impor-se no mercado, tendo vendido apenas 61 unidades na Europa, no ano passado e 70 em 2015, segundo os dados da JATO Dynamics.
“Os volumes de venda não são bons e decidimos esperar até que o mercado amadureça”, disse Graham Hoare, diretor global da estratégia de produtos da marca, á margem de uma conferência sobre veículos conectados, organizada pela associação britânica do sector automóvel, em Londres.

A Ford continuará a vender o Focus Electric em alguns mercados europeus, mas passará a importá-lo dos EUA.No ano passado, o Focus recebeu um pack de baterias mais potente, com 33,5 Kwh, que permitiu aumentar a autonomia por carga de 160 para 225 quilômetros.

Em alternativa aos veículos 100% elétricos, a Ford vai agora apostar nos sistemas de motorização híbridos, que a marca entende terem maior potencial no mercado. No final do ano, uma versão híbrida elétrica-gasolina do furgão comercial Transit Custom, começará a ser testada em Londres, com um ano de avanço sobre o arranque da produção na fábrica turca de onde saem os atuais furgões Transit, agendada para 2019.

A marca quer vender o seu novo furgão híbrido às frotas de entregas e transportes de mercadorias urbanos em Londres, antecipando as restrições já anunciada à circulação de veículos comerciais com motores diesel. Já a partir de janeiro, apenas poderão ser vendidos em Londres táxis de Zero Emissões, com motores elétricos.“Os híbridos são uma solução mais ajustada às frotas do que os 100% elétricos”, explica Hoare, “até porque em teoria serão mais atrativos em termos de economia”.

O futuro Trantit Custom enfrentará uma concorrência forte de furgões amigos do ambiente de outras marcas, como o Nissan e-NV200, ou o modelo plug-in híbrido que a London Taxi Company (controlada pelos chineses da Geely) vai lançar.

VerdeSobreRodas, o ponto de encontro com a mobilidade sustentável

PostagemFord retira elétrico Focus de produção

Publicado no Verdesobrerodas



Por automonitor conteúdo

Nenhum comentário:

Postar um comentário