Este espaço é reservado a quem acredita na mobilidade sustentável e queira se juntar aos números abaixo:

* mais de UM MILHÃO de acessos ; * lido por mais de DEZ países, * mais de DEZ MIL postagens, * postagens (blog e mídias sociais) durante os 365 dias do ano, * newsletters semanal, * parcerias com eventos no Brasil e exterior. Clique AQUI para saber mais.

segunda-feira, 20 de março de 2017

Portugal vai compra 170 carros elétricos

O Governo vai gastar 5,5 milhões de euros para adquirir 170 novos carros elétricos para utilização em várias entidades do Estado, segundo um diploma publicado sexta-feira no Diário da República. Trata-se do programa de Apoio à Mobilidade Elétrica na Administração Pública 2015-2020, que visa apoiar a aquisição, de forma faseada, de 1200 veículos elétricos e ainda os pontos de carregamento. 

No total, o custo ascende a 23,34 milhões de euros. Com a aquisição destes veículos, o Estado prevê poupar 1,3 milhões de euros com os custos de combustível (gasolina e gasóleo) no período de 48 meses. Os veículos serão adquiridos em regime de Aluguel Operacional de Veículos (OPV) por um período de 48 meses, e as verbas serão pagas pelo Fundo Ambiental. Nos termos do regulamento, cada entidade do Estado só pode candidatar-se, por concurso, a três veículos elétricos. 

Com a introdução destes 170 veículos na primeira fase do programa, terão de ser abatidos veículos a gasolina ou gasóleo com mais de 10 anos. O objetivo é melhorar o desempenho ambiental ao abrigo do Protocolo de Quioto. O Programa de Apoio à Mobilidade Elétrica na Administração Pública teve uma fase experimental em 2014, ano em que foram adquiridos 30 veículos elétricos e distribuídos por 30 entidades do Estado. Nessa altura foram instalados também 25 pontos de carregamento. Segundo o regulamento, trata-se de veículos elétricos ligeiros, Berlina ou Sedan, cor branca, de 4 ou 5 portas.

VerdeSobreRodas, o ponto de encontro com a mobilidade sustentável

PostagemPortugal vai compra 170 carros elétricos

Publicado no Verdesobrerodas



Por Correio da Manhã conteúdo

Nenhum comentário:

Postar um comentário