Este espaço é reservado a quem acredita na mobilidade sustentável e queira se juntar aos números abaixo:

* mais de UM MILHÃO de acessos se somadas as mídias sociais, * mais de MEIO MILHÃO de acessos somente no VSR, * lido por mais de DEZ países, * mais de SETE MIL postagens, * postagens (blog e mídias sociais) durante os 365 dias do ano, * newsletters semanal, * parcerias com eventos no Brasil e exterior. Clique AQUI para saber mais.

sábado, 11 de março de 2017

China considera energia nuclear segura para os transportes

Com o grande desenvolvimento dos combustíveis, o número de alternativas diferentes vem crescendo cada vez mais no mercado mundial, como por exemplo, o biocombustível, motores híbridos e elétricos. 

Recentemente, a China apresentou uma alternativa, que para muitos pode parecer uma fonte suja de energia: a nuclear. Porém, este novo tipo oferece o elemento químico principal, o tório, que apresentou um grande sucesso em pesquisas nas questões de potência e poder de combustão. 

Vários cientistas e engenheiros nucleares afirmaram que este elemento poderá ser a energia nuclear segura, com menor custo e com maiores níveis de reserva no mundo. 

Estas reservas estão espalhadas em todo mundo e são cerca de quatro vezes mais abundantes que certos elementos como por exemplo o urânio. As localidades no mundo que mais possuem estas reservas são os Estados Unidos, China, Austrália, Índia, Turquia e na Noruega. A quantidade que seria necessária para substituir todos os combustíveis fósseis de todo mundo é de 6.600 toneladas de tório para geração de energia nuclear.

Os cientistas estão contentes com o uso do tório por ele não ser tão radioativo como outras substâncias. Este elemento de número atômico 90, pertencente à tabela periódica, é um metal que reflete a lux (brilhante) e de pouca radiação. Mesmo em seu estado natural, é possível que ele sustente uma reação em cadeia.O tório tem sido opinado para ser usado como produto de geração em reatores nucleares. Caso usado, utilizaria um sistema de composto por sal de flúor com um ponto de ebulição muito elevado, o que causaria uma diminuição significativa nos reatores. O Reino Unido apoia a utilização do tório como combustível alternativo, por gerar pouco desperdício e ser menos radioativo que o urânio.

Thorium Car é um projeto que pesquisadores estão querendo realizar, com a pretensão de criar um carro de passeio com tório como combustível, que, segundo eles, poderá ter uma vida útil de cerca de 100 anos, o que significaria que as pessoas não abasteceriam seus automóveis tão cedo. Uma empresa chamada Laser Power Systems está criando um conceito de um carro com motor à base de tório, porém não será possível estar no mercado em pouco tempo, por ser necessária muita pesquisa e desenvolvimento, mas em algumas décadas certamente estará disponível no mundo automobilístico.

VerdeSobreRodas, o ponto de encontro com a mobilidade sustentável

PostagemChina considera energia nuclear segura para os transportes

Publicado no Verdesobrerodas



Por Blasting News conteúdo

Nenhum comentário:

Postar um comentário