Este espaço é reservado a quem acredita na mobilidade sustentável e queira se juntar aos números abaixo:

* mais de UM MILHÃO de acessos ; * lido por mais de DEZ países, * mais de DEZ MIL postagens, * postagens (blog e mídias sociais) durante os 365 dias do ano, * newsletters semanal, * parcerias com eventos no Brasil e exterior. Clique AQUI para saber mais.

segunda-feira, 23 de janeiro de 2017

Veículos plug-in podem ser mais eficientes

Atualmente, entre os carros híbridos, o mais eficiente é o plug-in, que combina motor a combustão, motor elétrico e bateria de lítio recarregável com energia de fonte externa. Com isso, o veículo pode apenas utilizar a bateria para se deslocar no dia a dia, evitando a emissão de CO2 e o consumo de combustível.

No entanto, a transição entre o funcionamento do modo elétrico e o modo híbrido não possui uma gestão de energia eficiente, de acordo com engenheiros da Universidade da Califórnia. Mesmo que nem todos os híbridos plug-in funcionem da mesma forma, boa parte utiliza a energia da bateria até um nível muito baixo, quanto então entra o motor a gasolina ou diesel.

Nos testes dos engenheiros do Centro de Pesquisa e Tecnologia Ambiental da UC e da Faculdade de Engenharia Bourns, apontaram falhas nessa transição de funcionamento entre os dois motores nos híbridos plug-in. Assim, a pesquisa indicou que o modo mais eficiente de funcionamento é utilizando-se a carga da bateria ao longo de todo o processo, da partida ao desligamento.
Pelo descrito, o motor a gasolina/diesel funcionaria mais vezes e aparentemente o consumo seria maior, mas com um novo controle de gestão eletrônica desenvolvido pela equipe dos dois institutos, liderada pelo engenheiro pós-doutorado Xuewei Qi e pelo professor de engenharia elétrica Matthew Barth, os híbridos plug-in se tornarão pelo menos 30% mais eficientes.

O sistema de gestão de energia elétrica desenvolvido por Qi e Barth, com ajuda de outros membros da UC, permite basicamente que os carros híbridos plug-in possam aprender diariamente com as condições de rodagem para tornar a transição entre os modos elétrico e híbrido mais eficiente. Além disso, o gestor elétrico também pode utilizar tecnologias de comunicação V2V, tais como redes de celulares e plataformas de crowdsourcing para se comunicar com outros veículos.

Isso permitiria ao sistema, através de algoritmos evolutivos, aprender a ser mais eficiente na gestão elétrica com a experiência dos outros carros e com o dia a dia. Esses algoritmos são uma maneira matemática de descrever fenômenos naturais como a evolução, o enxame de insetos e o voo em formação de pássaros.


De acordo com Qi, “modelando matematicamente os processos de economia de energia que ocorrem na natureza, os cientistas criaram algoritmos que podem ser usados ​​para resolver problemas de otimização na engenharia”. Ele acrescenta: “Combinamos essa abordagem com a tecnologia de veículos conectados para obter economia de energia de mais de 30%. Conseguimos isso considerando as oportunidades de cargas de energia durante a viagem – algo que não é possível com o sistema existente”.

Com isso, o sistema de gerenciamento de energia dos carros híbridos plug-in deixará de ser um sistema estático, evoluindo e melhorando sua eficácia na gestão elétrica com o ciclo de vida do veículo, proporcionando assim maior economia de combustível e menor emissão de poluentes, segundo os pesquisadores.
 
VerdeSobreRodas, o ponto de encontro com a mobilidade sustentável

Postagem:

Publicado no Verdesobrerodas



Por Noticias Automotivas conteúdo

Nenhum comentário:

Postar um comentário