Este espaço é reservado a quem acredita na mobilidade sustentável e queira se juntar aos números abaixo:

* mais de UM MILHÃO de acessos se somadas as mídias sociais, * mais de MEIO MILHÃO de acessos somente no VSR, * lido por mais de DEZ países, * mais de SETE MIL postagens, * postagens (blog e mídias sociais) durante os 365 dias do ano, * newsletters semanal, * parcerias com eventos no Brasil e exterior. Clique AQUI para saber mais.

terça-feira, 31 de janeiro de 2017

Porsche deixará versão híbrida do 911 para próxima década

“Estamos preparados para isso caso tenhamos de produzir um 911 híbrido, mas para já não estamos convencidos que faça falta. Tudo dependerá do tamanho da bateria e do sistema eletrônico, mas para ter um modelo destes na gama talvez tenhamos de prescindir dos dois lugares traseiros e depois não sabemos se dessa forma o 911 continuará a ser um... 911” referiu aquele responsável da Porsche durante o lançamento do 911 GTS na África do Sul a semana passada.

Mas não é este o único problema, lembrou Thomas Krickelberg. “Um sistema híbrido significa que temos dois sistemas, um motor de combustão e um motor elétrico e dois sistemas de armazenamento, um depósito de combustível e uma bateria. Ora, para tudo isso é preciso espaço e adicionar peso ao carro. Por isso, sou sincero, não estamos convencidos que esse é o melhor caminho. 

Afinal estamos a falar do 911! Ainda não tomamos nenhuma decisão, embora estejamos a trabalhar no conceito.”

Assim sendo, é natural que entre a decisão de avançar para o modelo híbrido e a entrada em produção, há um intervalo de três a quatro anos, pelo que é evidente que não estando a decisão ainda tomada, a eventualidade de um 911 híbrido não acontecerá antes da próxima década.

Como o próximo 911 terá a mesma base do atual modelo, continua a ser complicado perceber onde os técnicos da Porsche vão colocar os elementos do sistema híbrido Plug-In. Porém, uma versão destas vai ser realidade cedo ou tarde, embora a Porsche rejeite liminarmente uma variante com uma versão híbrida ligeira. “O carro terá de cumprir pelo menos 50 quilômetros em modo puramente elétrico e os híbridos só com bateria não têm essa capacidade. Não vão além de 15 a 20 km e por isso não é suficiente.”

Esta visão pode chocar com a galopante expansão dos sistemas híbridos na gama Porsche, com Macan, Cayenne e Panamera a terem essas versões. Porém, o 911 é um caso muito especial e por isso a Porsche está a tratar “com pinças” a evolução do futuro do 911.

VerdeSobreRodas, o ponto de encontro com a mobilidade sustentável

PostagemPorsche deixará versão híbrida do 911 para próxima década

Publicado no Verdesobrerodas



Por automonitor conteúdo

Nenhum comentário:

Postar um comentário