Este espaço é reservado a quem acredita na mobilidade sustentável e queira se juntar aos números abaixo:

* mais de UM MILHÃO de acessos se somadas as mídias sociais, * mais de MEIO MILHÃO de acessos somente no VSR, * lido por mais de DEZ países, * mais de SETE MIL postagens, * postagens (blog e mídias sociais) durante os 365 dias do ano, * newsletters semanal, * parcerias com eventos no Brasil e exterior. Clique AQUI para saber mais.

sábado, 26 de novembro de 2016

Autonomia dos VEs precisa ser igual aos seus pares a gasolina

Agora carros EV's competem roda a roda com a tecnologia de carros de corrida, ao perceberem obrigação de se aprimorarem.

John Cowan, da Spirit Motorsport, fornece serviços de #marketing estratégico às equipes e pilotos numa série de corridas em série diferentes, diz: "Fórmula E mostrou que EVs pode ter limite de alto desempenho. 

Uma questão que não me impressionou com a Fórmula E, porém, é a vida da bateria. Quando compro um carro #elétrico, preciso que suas baterias sejam iguais ao alcance produzido por um tanque de gasolina".
A escala de um carro elétrico é ainda algo que consumidores se preocupam sobre e não é combatido dentro da fórmula E. Parte da estratégia de uma equipe é escolher quando trocam seus carros. Porque os carros estão indo tão rápido e o carregamento assim toma muito tempo, as direções têm que focar em outro carro completamente carregado no meio da corrida.

A FIA está ciente de que num mundo perfeito a corrida de uma hora seria concluída com apenas um carro, mas com a tecnologia atual da bateria, isso não é possível. A esperança aos fabricantes e consumidores é que a Fórmula E impulsionará a tecnologia da bateria em seus detalhes a torná-la mais eficiente, obter gama semelhante àqueles produzidos por motores de combustão interna regular.

A percepção dos veículos elétricos muda e isso se deve a uma combinação de melhor alcance, melhor infraestrutura, modelos mais desejáveis, o ambiente e a exposição que a Fórmula E deu a esses carros em ambientes urbanos. O desenvolvimento de novas tecnologias dentro e fora do esporte ajudará a impulsionar a indústria para a frente.
A FIA que organizou esta Fórmula E a unir empresas fabricantes de carros movidos exclusivamente de energia elétrica, e sua primeira temporada em 2014. Tem 10 escuderias, 20 pilotos e 40 veículos por corrida, 2 pilotos e 4 veículos a cada escuderia. A organização estruturou 10 cidades pelo mundo a ocorrerem as corridas, em circuitos de rua de 2.5 a 3 km de extensão. 

Os veículos aceleram de 0 a 100 km/h, em 3 segundos, na velocidade máxima de 220 km/h. Níveis de ruído em decibéis: Automóvel = 70dB; Fórmula E = 80dB; ônibus = 90 dB. Na temporada de 2014-2015, o piloto campeão foi Nelson Piquet Jr., com o veículo chinês NEXTEV Team China Racing, e, na temporada 2015-2016, foi o suíço Sébastian Buemi, com o veículo francês da marca Renault, modelo Spark

VerdeSobreRodas, o ponto de encontro com a mobilidade sustentável

Postagem: Autonomia dos VEs precisa ser igual aos seus pares a gasolina
Publicado no Verdesobrerodas



Por Blastingnews conteúdo

Nenhum comentário:

Postar um comentário