Este espaço é reservado a quem acredita na mobilidade sustentável e queira se juntar aos números abaixo:

* mais de UM MILHÃO de acessos ; * lido por mais de DEZ países, * mais de DEZ MIL postagens, * postagens (blog e mídias sociais) durante os 365 dias do ano, * newsletters semanal, * parcerias com eventos no Brasil e exterior. Clique AQUI para saber mais.

terça-feira, 5 de julho de 2016

Incidente não muda as perspectivas para veículos autônomos

Uma fatalidade anunciada pela Tesla na última quinta-feira (30) pode servir de alerta para a 'corrida' pelos carros autônomos , um movimento que desperta o interesse de cada vez mais gigantes de automóveis e de tecnologia.

A empresa americana de carros elétricos informou sobre o primeiro acidente fatal ocorrido em um dos seus modelos equipados com o sistema de piloto automático. Em maio, um homem morreu na Flórida enquanto usava o 'Autopilot'. 

Nem o motorista nem o sistema conseguiram detectar a manobra de um caminhão que cruzou com o veículo, um Model S, de modo que os freios não foram acionados. 

A primeira tragédia envolvendo a condução autônoma pode projetar um cenário de pesadelo para uma indústria que aposta nessa tecnologia para melhorar a segurança rodoviária e reduzir as mortes no trânsito, causadas principalmente por erro humano. 

Pesquisadores dizem que o incidente da Tesla não muda as perspectivas de longo prazo para os veículos autônomos ou para seus potenciais benefícios, mas pode diminuir o entusiasmo em relação a esta tecnologia. 

Mary Cummings, que dirige o Laboratório de Humanos e Autonomia da Universidade de Duke, disse que o acidente da Tesla mostra que a indústria está se movendo rápido demais para implantar os veículos autônomos. "Minha preocupação é que isso tenha sido um acidente evitável. Minha preocupação é que isto será um contratempo para a indústria", disse Cummings à AFP. Cummings, que advertiu contra a implantação prematura dessa tecnologia em uma audiência no Senado americano no início deste ano, disse que acredita que os carros autônomos serão benéficos no longo prazo, mas que não deveriam circular pelas estradas antes de estarem prontos.

A notícia chegou um dia antes da fabricante de automóveis alemã BMW anunciar, na sexta-feira (1º), que vai unir esforços com a gigante americana de microprocessadores Intel e a empresa de tecnologia israelense Mobileye para desenvolver carros sem motoristas até 2021

A maioria das outras grandes fabricantes de automóveis também está desenvolvendo projetos com tecnologias de condução autônoma. A sul-coreana Kia prometeu produzir um veículo autônomo até 2020, a General Motors planeja testar a tecnologia com a gigante do serviço de transporte privado Lyft, e o Google já lançou e começou a testar seu protótipo de carro sem motorista.

VerdeSobreRodas, o seu ponto de encontro com a mobilidade sustentável

Postagem: Incidente não muda as perspectivas para veículos autônomos

Publicado no Verdesobrerodas

Por g1 conteúdo

Nenhum comentário:

Postar um comentário