Este espaço é reservado a quem acredita na mobilidade sustentável e queira se juntar aos números abaixo:

* mais de UM MILHÃO de acessos ; * lido por mais de DEZ países, * mais de DEZ MIL postagens, * postagens (blog e mídias sociais) durante os 365 dias do ano, * newsletters semanal, * parcerias com eventos no Brasil e exterior. Clique AQUI para saber mais.

sábado, 14 de maio de 2016

Híbrido da Toyota está mais eficiente

Uma das maiores resistências na adoção de um modelo híbrido prende-se, além do PVP, com as diferenças na condução face a um carro tradicional. Contudo, a evolução da indústria, tanto no que toca a sistemas tecnológicos como a instrumentação de bordo, acabou por escamotear estas diferenças e, hoje, conduzir um Prius já não requer grandes adaptações.

Vamos ao ponto de dizer que o novo Prius surge mais desportivo – adjetivo já permitido no léxico dos híbridos –, sobretudo pela postura atrás do volante. A posição é baixa, o espaço em comprimento abunda, com boa área para os joelhos dos passageiros traseiros e até a bagageira é generosa sem ser referencial – de 412 ou 507 litros, com ou sem roda sobressalente. O volante tem a inclinação certa (ou seja, praticamente vertical) e tudo se ajusta ergonomicamente, tornando o ambiente mais envolvente e agradável.

O sistema propulsor do Prius foi totalmente revisto, desde o motor térmico 1.8 VVT-i aos motores-geradores, passando pela própria bateria. De uma forma geral, os engenheiros da Toyota procuraram reduzir o peso de todos os componentes, aumentar a eficiência energética e extrair mais potência do conjunto. Isso foi conseguido tornando os componentes mais compactos, otimizando a refrigeração onde era necessária e melhorando o software das unidades de controlo. Enquanto o quatro cilindros VVT-i debita agora 98 cv às 5200 rpm, os motores elétricos desenvolvem uma potência de 53 kW – o correspondente a cerca de 72 cv –, pelo que a um dado momento a potência máxima conjunta ronda os 122 cv, o que sem ser estonteante é mais do que suficiente para um familiar compacto de caráter citadino.

O Prius pode não ter o preço mais convidativo - €34.400, na versão Luxury ensaiada –, mas compensa esse facto no equipamento de série, contando com itens como sensores de luz, A/C dual zone, volante multifunções, câmara de estacionamento, bancos aquecidos e o sistema de infoentretenimento Toyota Touch 2, que inclui dispositivo Bluetooth e integração MP3 e iPod. Paralelamente, e como oferta de lançamento, esta versão inclui os estofos em pele genuína, que como opcional custará €1600.
 
Mais impressionante são os equipamentos de segurança e auxílio à condução incluídos nesta versão, que incluem sistemas como o Pré-Colisão, a Assistência ao Estacionamento, Alerta de Mudança de Faixa, controlo automático de faróis máximos e Cruise Control Adaptativo.

 O Prius é mais do que um automóvel dirigido a condutores eco-conscientes. É para apreciadores de uma condução suave e fluída e que, de permeio, retiram gozo em gerir entre energias elétrica e térmica para obter consumos de combustível de bater recordes. Além disso, o novo Prius pontua alto em campos como o conforto, posição de condução e na relação preço/equipamento. Para quem nunca equacionou a compra de um híbrido, mais vale tarde do que nunca. É que, como dizem os britânicos, if you can’t beat them, join them

VerdeSobreRodas, o seu ponto de encontro com a mobilidade sustentável

Postagem: Híbrido da Toyota está mais eficiente

Publicado no Verdesobrerodas

Origem: Automonitor conteúdo


 

Nenhum comentário:

Postar um comentário