Este espaço é reservado a quem acredita na mobilidade sustentável e queira se juntar aos números abaixo:

* mais de UM MILHÃO de acessos ; * lido por mais de DEZ países, * mais de DEZ MIL postagens, * postagens (blog e mídias sociais) durante os 365 dias do ano, * newsletters semanal, * parcerias com eventos no Brasil e exterior. Clique AQUI para saber mais.

segunda-feira, 16 de maio de 2016

A era dos veículos elétricos

Há quem continue defendendo que os veículos movidos a combustível fóssil continuarão a dominar e não serão incomodados pelos movidos à combustível alternativo. Porém, é bom observar com atenção e ficar atendo para as mudanças, que deverão ocorrer nas próximas décadas, envolvendo as indústrias do petróleo e automobilística.

Pelo que tudo indica, a era do carro eletrificado está se aproximando rapidamente. Por exemplo, a Chevy, Nissan, e a Tesla têm veículos eletrificados na faixa de preço de US $ 30.000 com autonomia de 320 quilômetros com uma única carga (200 milhas). O Tesla Model S já supera a competição na classe grande de luxo nos Estados Unidos da América.
 
A BMW, Ford, Volkswagen, e praticamente todos os outros grandes fabricantes de automóveis estão investindo bilhões de dólares em veículos elétricos, também. Outros players gigantes, fora da indústria automobilística, como a Apple, Google e a chinesa Le Holdings Co, conhecida como LeEco devem se tornar, no futuro próximo, desenvolvedores de carros elétricos.

Por quê isso poderá ser um problema para a indústria petrolífera? Porque o preço do petróleo começou cair em 2014, devido ao excesso de oferta e queda da demanda. As companhias de petróleo começaram a produzir cerca de dois milhões de barris por dia a mais do que o mercado global exigia, devido sobretudo a "revolução" liderada pelo gás de xisto na América do Norte.
 
A Bloomberg indaga: "quanto tempo os veículos elétricos podem provocar um excesso de oferta de petróleo capaz de reduzir a demanda de pelos mesmos 2 milhões de barris?" De acordo com uma análise feita pela Bloomberg New Energy Finance (BNEF), a resposta é, provavelmente, algum momento da década de 2020.

Vale lembrar que os preços de bateria caíram 35% em 2015 e estão em ritmo para tornar os veículos elétricos tão acessível como beberrões de gasolina nos próximos seis anos, o que BNEF disse que "será o início de uma descolagem real do mercado de massa para carros elétricos."

Em 2040, a BNEF projeta que os carros eletrificados de longo alcance vão custar menos de US $ 22.000 em dólares de hoje, e serão mais de um terço de todos os carros novos vendidos em todo o mundo.

A indústria do petróleo parece ignorar tudo isso. A OPEP insiste em que apenas 1% dos carros na estrada em 2040 será veículos elétricos (eles são, atualmente, cerca de um décimo). E CEO ConocoPhillips Ryan Lance disse à Bloomberg que ele não acredita que os veículos elétricos vão pegar, pelo menos nos próximos 50 anos.

No entanto, vale lembrar que as vendas de veículos elétricos cresceram 60% no ano passado, e se essa taxa se mantém. A BNEF acredita que "os veículos elétricos podem deslocar a demanda de petróleo de 2 milhões de barris por dia já em 2023."

Isso é certamente uma previsão agressiva, mas BNEF disse que depois de reduzir os custos de componentes para carros elétricos, os preços vão cair o suficiente para atrair os consumidores. Tudo isto significa que os seus investimentos em petróleo podem muito bem tornar-se ativos ociosos já na próxima década. Não é realmente uma questão de se os carros elétricos vão criar uma real turbulência no mercado do petróleo, mas sim quando.

VerdeSobreRodas, o seu ponto de encontro com a mobilidade sustentável

Postagem: A era dos veículos elétricos
Publicado no Verdesobrerodas



Por Evaldo Costa

Nenhum comentário:

Postar um comentário