Este espaço é reservado a quem acredita na mobilidade sustentável e queira se juntar aos números abaixo:

* mais de UM MILHÃO de acessos ; * lido por mais de DEZ países, * mais de DEZ MIL postagens, * postagens (blog e mídias sociais) durante os 365 dias do ano, * newsletters semanal, * parcerias com eventos no Brasil e exterior. Clique AQUI para saber mais.

quinta-feira, 31 de março de 2016

Tesla Motors poderá faturar vendendo plataforma dos VEs

Poderia a Tesla Motors vender sua plataforma para outros fabricantes? Essa questão está sendo levantada pelo site Jalopnik e parece muito interessante do ponto de vista estratégico da marca americana. Como já se sabe, a Tesla Motors oficialmente (e também não oficialmente) prepara pelo menos quatro modelos de volume, sendo que dois já foram lançados: Model S e Model X. O Model 3 conheceremos na próxima quinta (31). O último é alegadamente um crossover menor que o X e conhecido como Y. 

Com as iniciais que lembram a palavra “SEXY” (que Elon Musk descarta veementemente), a Tesla Motors teria um bom quarteto nas mãos, que pode ainda ser ampliado para um Model T (picape) e um Model R (Roadster). Seja como for, o lineup da marca será pequeno com essas ofertas. 

Mas, suspeita-se que os modelos de carros elétricos “by Tesla” serão muito mais do que os citados acima. A ideia é que a empresa estaria se preparando para vender futuramente sua plataforma para outros fabricantes, já que ela consiste em uma base que lembra um chassi, podendo receber vários estilos de carroceria. É mais ou menos o que a Faraday Future está propondo com sua base modular. Propulsor, transmissão, bateria plana, suspensão, direção, freios, etc, fazem parte de um conjunto único. 

Com a enorme Gigafactory, a Tesla Motors poderia fornecer a plataforma completa ou apenas peças e componentes do sistema de propulsão e armazenamento de energia. Dessa forma, os custos de desenvolvimento de carros elétricos seriam bem menores para novas marcas, ainda mais se tratando de um tipo de veículo normalmente muito mais caro. 

Elon Musk já quebrou a patente de seu Model S com o objetivo de fomentar a tecnologia de carro elétrico no mercado mundial. Os custos de forma geral cairiam, poupando-se bilhões de dólares. Para atender essa demanda, a Tesla ganharia – além da eventual produção do “chassi” ou licenças de fabricação – também com a venda de pontos de recarga Supercharger e carregamento doméstico Powerwall. A economia em escala permitiria uma grande redução de preço nos carros elétricos, acelerando sua introdução e posteriormente a diminuição ou retirada completa de incentivos fiscais, algo bom para quem quer ver o dinheiro público aplicado em áreas mais importantes. No passado, duas empresas apostaram na mesma ideia e com resultados parecidos. 
A Volkswagen percebeu que o chassi do Beetle começou a ser utilizado por fabricantes menores, em especial aqueles que faziam carros esportivos, réplicas, kit cars, bugies, veículos comerciais e outros tipos, sempre compartilhando igualmente a motorização boxer a ar. No Brasil, Gurgel, Puma, Chamonix, BRM, entre outras, se beneficiaram muito dessa política. Mais recentemente, quando surgiu a MQB – plataforma modular de motor transversal – a Volkswagen novamente pensou em licenciar sua base para outros fabricantes. A estimativa era de que após três anos, a tecnologia poderia ser vista em outras marcas. 

Outro exemplo foi a Microsoft, que ao invés de fabricar seu próprio computador, licenciou MS-DOS e Windows para outras marcas, praticamente dominando o mercado. Será esse o caminho que a Tesla Motors pretende trilhar daqui para frente?

VerdeSobreRodas, o seu ponto de encontro com a mobilidade sustentável

Postagem: Tesla Motors poderá faturar vendendo plataforma dos VEs

Publicado no Verdesobrerodas

Origem: Noticias Automotivas

Nenhum comentário:

Postar um comentário