Este espaço é reservado a quem acredita na mobilidade sustentável e queira se juntar aos números abaixo:

* mais de UM MILHÃO de acessos ; * lido por mais de DEZ países, * mais de DEZ MIL postagens, * postagens (blog e mídias sociais) durante os 365 dias do ano, * newsletters semanal, * parcerias com eventos no Brasil e exterior. Clique AQUI para saber mais.

terça-feira, 23 de fevereiro de 2016

Fiat Chrysler recorre ao magnésio para fazer carros mais leves

A Fiat Chrysler Automobiles está usando o magnésio como sua mais nova artimanha para diminuir o peso dos veículos e reduzir o consumo de combustível diante dos padrões mais rígidos para as emissões de poluentes. A montadora ítalo-americana está adotando esse metal leve como substituto do aço, que é mais pesado, na fabricação da porta elétrica do porta-malas de sua minivan Pacifica 2017, que chega ao mercado americano ainda este ano. O magnésio é 74% mais leve que o aço e 33% mais leve que o alumínio, segundo a Associação Internacional do Magnésio, uma entidade setorial.

O magnésio traz algo significativo para os projetistas de automóveis: a facilidade com que ele pode ser moldado com áreas grossas e finas na mesma peça. Ele abre as portas para a redução das perdas e permite aos projetistas mais possibilidades de moldagem. No caso do Pacifica, “bolsos” foram moldados na porta do porta-malas para que as luzes traseiras possam ser uma parte integrada da peça. 

“O bom do magnésio é que você pode usá-lo em mais peças da arquitetura de um veículo para reduzir o peso, sem comprometer a segurança e o desempenho”, diz Joe Petrillo, diretor de vendas na América do Norte de uma unidade do Wanfeng Auto Holding Group, que fabrica a porta do porta-malas do Pacifica.

A nova minivan da Fiat Chrysler chega aos revendedores até o fim do ano, com uma lista de características que visam melhorar a autonomia, como um conjunto de bateria opcional que permite ao veículo percorrer 48 quilômetros no modo elétrico, antes do acionamento do motor à gasolina.

O veículo é anunciado no momento em que os compradores afluem para as picapes, um movimento que vem enfraquecendo parte das economias com combustíveis obtidas na última década. Com os padrões para as emissões de poluentes endurecendo bastante até 2025, muitas montadoras estão lançando veículos elétricos ou usando materiais mais leves e mais caros, como o alumínio.

VerdeSobreRodas, o seu ponto de encontro com a mobilidade sustentável

Postagem: Fiat Chrysler recorre ao magnésio para fazer carros mais leves

Publicado no Verdesobrerodas

Origem: The Wall Street Journal Americas

Nenhum comentário:

Postar um comentário