quinta-feira, 30 de outubro de 2014

“Range Package” poderá aumentar autonomia do carro elétrico

De acordo com o Insideevs, a Mercedes deverá propor de série o “Range Package”, um equipamento que aproveita o máximo da capacidade da bateria do Classe B Electric Drive.
A capacidade nominal da bateria do Classe B elétrico é de 28 kWh. Com o “Range Package”, a capacidade da bateria pode chegar aos 33 kWh dos 36 kWh disponíveis na totalidade, aumentado a autonomia em cerca de 25 quilômetros. Por motivos de durabilidade da bateria, a Mercedes aconselha a não utilizar com frequência este equipamento.

Recordamos que, inicialmente, a Mercedes queria propor o “Range Package” por cerca de 500 euros.

Publicado em Verdesobrerodas
Fonte: e-move

Vendas de carros elétricos crescem 1.101% no Reino Unido

O segundo trimestre de 2014, as vendas de veículos elétricos no Reino Unido quase dobraram em relação ao mesmo período do ano anterior. Cerca de 5.000 vendas foram registradas no trimestre, graças em parte ao subsídio do governo, que é de 8.000 dólares (£5.000) para carros plug ins e US$12,800 (£8.000) para vans plug ins.
Apesar do apoio, os britânicos têm sido muito lento para apanharem o comboio elétrico, em comparação com os noruegueses e holandeses. Mas isso pode finalmente estar mudando com o aumento da conscientização, já que desde o início do ano as vendas não param de crescer. Os elétricos plug ins, por exemplo, alcançaram a incrível marca de 1.101% no acumulado do ano até setembro comparado com o mesmo período do ano anterior.
"Não é surpreendente que as pessoas querem estes veículos - eles são prazerosos de conduzir, incrivelmente barato para serem mantidos, bem como benéficos para o meio ambiente", disse o ministro dos Transportes, Baronesa Kramer.
Ainda assim, as vendas VEs em setembro foram de 3.090 unidades em torno de 1% do total de vendas de automóveis do Reino Unido (que totalizaram 425.861), por isso temos um longo, longo caminho a percorrer para que as vendas de VEs sejam mais expressivas no Reino Unido.
Por um pouco de perspectiva sobre onde o Reino Unido destaca em comparação com os Estados Unidos que é líder mundial e a Noruega. A diferença é que nos Estados Unidos a participação dos VEs nas vendas é semelhantes ao Reino Unido, ou seja, em uma base relativa baixa (em torno de 1% de Market share), já na Noruega elas tem sido acima de 14% nos últimos meses.
Publicado em Verdesobrerodas

Fonte: Cleantechnica



Volkswagen contrata carregadores rápidos para carros elétricos

A empresa IES Synergy foi selecionada para fornecer os seus CARRINHO de carregadores rápidos KEYWATT para rede de concessionárias da Volkswagen na Europa.
O carregadores rápidos KEYWATT, de até 20kW de potência de saída, é capaz de recarregar 80% da bateria de um e-UP Volkswagen ou e-Golf, em 30 minutos. Eles são compactos, leves com apenas 35 kg, e sua concepção sobre rodas torna muito versátil.
IES Synergy é parceira de vários clientes industriais e automotivos há mais de uma década, usando sua tecnologia de carregamento KEYWATT. A KEYWATT tem produtos compactos, robustos e eficientes e com custos reduzidos.
Para o mercado de infraestrutura para VEs, a KEYWATT se concentra exclusivamente em carregamento rápido tipo DC e pode operar sob todas as normas pertinentes, tais como Combo 2 e CHAdeMO.
"Estamos muito felizes por ter ganho a confiança do Grupo Volkswagen na tecnologia altamente inovadora da IES Synergy. A escolha do maior fabricante europeu de veículos revela que os produtos dos IES corresponder bem às necessidades específicas dos profissionais do sector automóvel ", revelou Michel Orville, Vice-Presidente da IES Synergy
Publicado em Verdesobrerodas

Fonte: Cleantechnica

Estará a Tesla colocando a indústria diante de questões cruciais?

O sucesso da Tesla em produzir e vender o carro elétrico Model S, mudou o curso da eletrificação do veículo para muitas montadoras. Até recentemente, a maioria delas estavam desenvolvendo VEs com 100 a 170 quilômetros de autonomia, principalmente para atender as regulamentações governamentais de emissão zero (na Califórnia e em outros lugares), mas a Tesla optou por desenvolver veículos com maior autonomia, em alguns casos superior a 340 quilômetros, e com a proposta de fabricar veículos elétricos mais sofisticados.

Aparentemente, enquanto algumas montadoras lançavam modelos elétricos adaptados de uma plataforma existente, a Tesla criou um carro 100% elétrico. Além disso, o fato dela produzir apenas carros elétricos pode ter sido um fator favorável ao aprimoramento do produto. O fato é que depois da Tesla, a indústria automobilística está diante de algumas questões cruciais, com potencial de afetar várias partes interessadas, como por exemplo:
1. Poderá o sucesso da Tesla ser superado, pela Tesla ou outras montadoras, com veículos mais econômicos, competitivos e com preços de venda abaixo de US$ 35.000?
2. O mercado é grande o suficiente para justificar plataformas exclusivas de veículo elétricos?
3. A tecnologia de bateria da Tesla é confiável e durável o suficiente para suportar uma vida de veículos de 10-15 anos?
4. Qual é o valor da carga rápida? Pode ela ser adotada sem degradar a confiabilidade da bateria?
5. Em que medida podem as políticas ambientais iniciadas pelo governo, incluindo mandatos e incentivos, ser invocado para catalisar o mercado (e justificar volumosos investimentos)?

Essas e outras questões são discutidos em um relatório de bateria Tesla, que foi recentemente lançado pelo Dr. Menahem Anderman, presidente da Total Consultoria bateria. O documento fornece uma visão conservadora da montadora tradicional e o fascínio com a Tesla, além de dissecar as condições de mercado vis-à-vis a trajetória esperada da bateria para VE no que concerne tecnologia, custo, desempenho, durabilidade e segurança.

Publicado em Verdesobrerodas

Fonte: VSR




quarta-feira, 29 de outubro de 2014

Parque de Sintra adota veículo elétrico

A Parques de Sintra tornou-se parceira da Mitsubishi Fuso Trucks Europe (MFTE) e da Mitsubishi Motors Portugal (MMP) testando, durante um ano, um novo veículo comercial livre de emissões de CO2 e praticamente silencioso, produzido na unidade industrial da Daimler Trucks no Tramagal, Portugal.

O Fuso Canter E-Cell dá resposta às necessidades da Parques de Sintra no que concerne ao respeito pelo ambiente na serra de Sintra, limitando o nível de poluição e ruído para visitantes e espécies que habitam na serra, já que dispõe de um motor elétrico potente com autonomia superior a 100 kms.

A parceria integra-se no projeto da MFTE e MMP para testar em Portugal 8 unidades Fuso Canter E-Cell, reflexo do investimento da marca na introdução de sistemas de propulsão “verdes” no setor dos veículos comerciais.

Os testes terão a duração de um ano e decorrem em condições reais de trabalho, por forma a avaliar uma grande variedade de situações. Foram distribuídos por parceiros que incluem, além da Parques de Sintra, instituições como a Câmara Municipal de Lisboa, a do Porto e a de Abrantes, os CTT e a REN, entre outros.

Publicado em Verdesobrerodas
Fonte: LOCAL PT